A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

AS VIRTUDES TERAPÊUTICA DAS PLANTAS E FLORES



Desde que o homem é homem, ele vem buscando encontrar na natureza a solução para os seus problemas os mais variados. O homem foi se levantando na escala da evolução à medida que foi aprendendo a lidar com a natureza.

Assim, o homohabilis passa a desenvolver os primeiros utensílios com os quais o ser humano muda a paisagem do planeta e domina a agricultura. Que plantas são boas para comer, vestir, revestir, construir, curar, ritualizar? - E este foi um estagio decisivo na evolução da consciência humana, e demos um salto evolutivo, aprendemos a cultivar aquelas plantas que eram boas pra comer, aquelas que podem aliviar a dor, tratar as feridas, aquelas que podem alterar a mente e produzir estados alterados de consciência. O mundo das substâncias...

Assim, como somos fascinados pelo fogo, também o somos pelas plantas. Elas nos atraem por muitos fatores, a sua beleza ornamental, suas flores, perfumes, aromas, propriedades, muitas são as virtudes que nos despertam atenção as plantas.

Àqueles que despertam interesse por elas são amplamente gratificados pelo seu mais diverso uso em nossas vidas. Podemos pensá-las em muitas classes e divisões; plantas ornamentais, árvores, plantas aromáticas, plantas medicinais, plantas mágicas... Poderíamos nos perder aqui nesta tentativa de classificação. Em cada época da humanidade podemos perceber sua importância econômica, sustentando culturas, civilizações, com suas virtudes aplicadas à varias funções sociais, médicas, cosmetologias, farmacêuticas.

Cada uma com sua peculiaridade no que tange ao conhecimento e uso das hervas, como podemos pontuar: a cultura egípcia, a chinesa, os herbalistas medievais, os boticários do século XVIII, às grandes indústrias farmacêuticas de medicamentos e cosméticos atuais.

Tanto no presente como no passado, o homem tem encontrado nas plantas potenciais fantásticos, e histórias incríveis como a descoberta da cafeína - café - do ácido acetil salicílico - AAS - conta que num antigo mosteiro árabe, um monge passou a observar o comportamento de umas cabras do monastério que se alimentavam de umas sementes vermelhas que davam num arbusto.

Essa sementes deixavam as cabras mais desperta e agitadas que as outras e resolveu delas preparar uma infusão para estudar suas propriedades e descobriu o café. Outra feita medieval de outro monge observador, foi a descoberta do AAS, "um precursor do pensamento homeopático, ele passou a observar as plantas e seu habitat, e a fazer uma comparação com estados mórbidos e o meio ambiente das pessoas, e teve o seguinte raciocínio: plantas que nascem em locais úmidos, poderiam apresentar virtudes curativas para doenças de umidade, e assim sucessivamente.

E no meio de suas pesquisas se deparou com o salgueiro chorão, quando estudava o que ele chamava de doença dos pés frios, ou o reumatismo de hoje, e também a gripe.

Ele começou a estudar a planta e a questionar o porque a planta tem suas raízes na água, próxima a charcos e não apodrecia, e por ter galhos flexíveis dos quais faziam-se cestos, ele suspeitou que aquela planta pudesse ter poderes curativas para estas características aplicadas a pessoas com estados mórbidos provocados por situações com as quais a planta lida no seu cotidiano sem apresentar aqueles sintomas, e com isso em seu laboratório, acabou por descobrir um cristal, que mais tarde, passamos a conhecer como acido acetil salicílico. Poderíamos, também dizer, que ele foi um precursor da etno botânica, além de seu pensamento "homeopático".





Na Inglaterra de 1900, o bacteriologista Dr. Edward Bach, ao observar em seu jardim suas plantas e suas características peculiares, viu nelas padrões de comportamentos salutares, com os quais ele passou a comparar a estados patológicos em seres humanos e acabou por descobrir uma nova "medicina natural", "Os Remédios Florais", essências de flores que se aplicam a estados "críticos" de personalidades, e outros desequilíbrios. Os remédios são padrões vibracionais a partir das flores, que ele as classificou para estados emocionais básicos, promotores de doenças e desequilíbrios, físicos e emocionais.

Depois dele surgiram outros sistemas de remédios vibracionais pelo mundo, levando o homem a abordar suas doenças, suas dores, suas crises sob outra ótica. Os remédios florais atua em níveis muito sutis, em padrões energéticos que a pessoa traz consigo em suas programações mentais. Eles são "energias” puras das flores. “São formas “energéticas”, “padrões vibracionais" que atuam a nível muito profundo na "memória" da pessoa.

As plantas têm muitas formas de atuações e uso. Podemos preparar deliciosos chás aromáticos, infusões terapêuticas, temperos e especiarias exóticas, emplasto balsâmicos, crema loções, porções mágicas, medicamentos, vários são os usos das plantas. Usamos as plantas para o corpo, para a mente e para o espírito e este é um longo e fascinante capítulo do mundo das plantas, seu uso e aplicaçôes terapêuticas vai desde o do domínio da farmacologia ao da farmacognosia.Há fórmula e "preparados para curar o espírito", como os florais que atuam em níveis sutis de nosso psicossoma, e há fórmulas que atuam em nosso corpo físico, como remédio para o corpo. Podemos assim dizer que a terapêutica dos florais, da homeopatia, atuam em níveis sutis onde se encontra a matriz do "problema psico-espiritual", e os fitoterápicos na forma de tintura mãe e extratos, atuam no corpo físico, na matriz da doença física, onde se encontra a causa física do problema. Temos uma rica farmacopéia e uma panacéia de possibilidades de curas do mundo das hervas nas suas mais variadas aplicações.

Quando trabalhamos com a planta, estamos trabalhando com energia viva, inteligente! Quando tomamos a "planta viva" na forma de fitoterapia ela atua no nosso corpo como um sabão limpando a doença e quando tomamos a "planta viva" na forma de "energia sutil" ela age nos nossos padrões de sentimentos e hábitos, quebrando essas conexões negativas.

A associação dos dois sistemas, da fitoterapia com os remédios sutis, os florais e a homeopatia, aceleram um processo de cura que acontece dos níveis sutis para o corpo denso. Onde cura-se a doença, sua causa, e não só seus sintomas, seus efeitos. As plantas têm virtudes e propriedades que atuam como inteligências em todos os níveis de nossos veiculos:físico, mental e espitirual. Quando bem associadas elas podem apresentar resultados fantasticos de cura.


Fonte-www.stum.com.







Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

LIKE-FACEBOOK

VISITORS

free counters

solar terrestrial data