A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Por que as cigarras são tão barulhentas?



Por que as cigarras são tão barulhentas?
Como funcionam as cigarras
 
por Robert Valdes -
traduzido por HowStuffWorks Brasil
Elas sairão debaixo da terra, onde permanecem escondidas na escuridão por quase duas décadas. Invadirão o meio-oeste dos Estados Unidos, incluindo a área metropolitana de Chicago. Ocuparão as florestas e os céus à medida que forem invadindo. Milhares delas cantarão juntas dia e noite. Elas são a Espécie XIII. Você deveria ficar com medo? Deveria tentar se proteger?

Na verdade, não. A única proteção que você pode precisar para receber as cigarras da Espécie XIII é um par de tampões de ouvido, porque o pior que podem fazer é mantê-lo acordado durante a noite.



Imagem cedida por NARA
Cigarra num pinheiro
As cigarras são insetos que voam, alimentam-se de plantas, são muito famosas por seus poderosos cantos e possuem aparência rara. Em 2007, as cigarras chegam para se apresentar. Neste artigo, vamos aprender mais sobre estes misteriosos insetos.

Reconheça-as à primeira vista
As cigarras são muitas vezes confundidas com gafanhotos, mas, na verdade, são mais parecidas com os pulgões. Pertencem à Ordem Hemiptera - uma distinção dada a todos os insetos com partes bucais adaptadas para perfuração e sucção. Há mais de duzentas espécies de cigarras na família dos cicadídeos.


Imagem cedida por EPA
Dave Davis, Cigarras

A envergadura média das asas de uma cigarra é entre 2,5 cm e 15 cm, dependendo de sua espécie. São notoriamente péssimas voadoras e com freqüência chocam-se com objetos, isso quando conseguem sair do chão. As cigarras têm quatro asas, e, quando não estão voando, essas asas ficam dobradas, rentes ao seu corpo. A asa frontal mais longa e transparente protege a traseira mais curta e opaca. Uma rede de vigorosas veias reforçam os dois pares de asas.

As cigarras têm três pares de pernas, todas com o mesmo comprimento. Por isso, não estão adaptadas para saltarem, embora façam tentativas. A combinação de olhos largos e situados em cada lado de sua cabeça dão-lhes uma ampla visão periférica. Os três pequenos olhos no topo da cabeça (chamados ocelo) permitem ver os predadores por cima. Pequenas antenas como cerdas estão localizadas logo atrás dos ocelos.

As partes bucais da cigarra estão embutidas num longo revestimento fino como um bico. O revestimento, chamado de labium, é retraído entre as pernas enquanto o inseto não está se alimentando. O labium contém quatro estiletes tipo agulhas, usados para a alimentação. As cigarras alimentam-se perfurando a superfície das plantas com seus estiletes. Estes são utilizados como canudos para sugar a seiva das plantas.

Excelentes apitos
As cigarras são reconhecidamente famosas por sua cantoria. O som agudo é, na verdade, um chamado para acasalamento emitido pelos machos. Cada espécie tem seu som distinto que atrai somente fêmeas de sua própria classe. Isso permite que várias espécies diferentes coexistam.

Imagem cedida por National Park Service
Cigarra com asas abertas

As cigarras são os únicos insetos capazes de produzir um som alto e singular. Algumas espécies maiores podem produzir um chamado maior que 120 decibéis numa variação próxima. Isto se aproxima do limiar da dor no ouvido humano! Espécies menores cantam em uma densidade tão alta que não podem ser ouvidas por humanos, mas podem fazer com que cães e outros animais uivem de dor.

O mecanismo utilizado pelas cigarras para cantar é complexo. Os órgãos que produzem sons são chamados de timbais. Os timbais são um par de membranas na base do abdômen. A cigarra canta contraindo os músculos timbais internos. Isso faz com que as membranas curvem-se para dentro, produzindo um som distinto. Quando estes músculos relaxam, os timbais retornam à posição original. Os cientistas ainda não conseguiram compreender plenamente como este mecanismo produz um volume tão alto.

As cigarras geralmente cantam durante o calor do dia. Além de atrair uma parceira, o ruído alto também repele pássaros. O som da cigarra é doloroso aos ouvidos dos pássaros e interfere em sua comunicação, dificultando a caça em grupos. Cigarras macho do mesmo grupo ficam juntos quando entoam o chamado para aumentar o volume total de ruído. Isso reduz as chances de ataques de pássaros para o grupo inteiro.

Até as cigarras devem se proteger do volume de sua própria cantoria. Cigarras macho e femêa possuem um par de largas membranas parecidas com espelhos chamadas de tímpanos, que funcionam como ouvidos. Os tímpanos são conectados a um órgão auditivo por um curto tendão. Quando um macho canta, o tendão reage, dobrando os tímpanos de maneira que não haja danos causados pelo som.

Canção de amor
Após sucumbir às baladas românticas, as cigarras acasalam-se. Depois disso, a fêmea adulta deposita seus ovos, perfurando as hastes das plantas com seu ovipositor. O ovipositor é um ferrão que deposita os ovos, localizado na extremidade de seu abdômen. O ferrão insere os ovos na fenda criada na haste. Os ovos eclodem e surgem pequenas cigarras sem asas, conhecidas como ninfas. As ninfas caem no chão e entram na terra. Aí permanecem por 17 anos, crescendo lentamente até tornarem-se adultas. As ninfas vivem da seiva das raízes das plantas enquanto crescem. Trocam de pele em intervalos durante o processo dos 17 anos.

Quando as ninfas alcançam o tamanho ideal, cavam de volta para a superfície com as pernas da frente especialmente adaptadas, que atuam como pequenas pás. Elas vêm à tona ao anoitecer, no final da primavera ou no início do verão. As ninfas sobem para um local mais elevado e trocam sua pele pela última vez. Agora que são cigarras adultas com asas, deixam a velha e vazia pele de ninfa para trás

Hora do show
Receitas com cigarras
Para algumas pessoas, cigarras não são apenas insetos barulhentos - são alimento. O fato delas aparecerem em apenas alguns anos as tornam uma iguaria rara. Consulte Cicada-licious: Cooking and Enjoying Periodical Cicadas (em inglês) para algumas receitas.

O número exato de espécies de cigarras ainda é discutido, mas uma crença comum entre os cientistas é que há pelo menos 13 espécies de cigarras com ciclo de 17 anos, além de outras cinco que emergem a cada 13 anos. De tempos em tempos, uma espécie com ciclo de 13 anos emergirá na mesma época que uma de 17 anos, criando uma tremenda poluição sonora.


A última a emergir, a Espécie X, foi na primavera de 2004, no lado oriental dos Estados Unidos, da Geórgia até o Tennessee; no oeste, em pontos isolados de Missouri; no norte, ao longo do Vale de Ohio e em Michigan; e no leste, em Nova Jersey e Nova Iorque.

A Espécie XIII ocorreu no meio-oeste superior (incluindo Chicago) no final de maio até junho de 2007. Havendo centenas de cigarras por acre infestado. É um grande acontecimento que não dá pra perder.

Elas mordem?
Mesmo que as cigarras pousem ou batam em você, não há motivo de preocupação de ser mordido. As cigarras são inofensivas. Elas podem causar algum retardamento no crescimento das árvores pela quantidade de seiva que consomem, mas não produzem dano permanente. Cigarras não mordem ou picam de maneira alguma.

O pior que farão é perturbá-lo com sua cantoria incessante.

Jornada limitada
A vida de uma cigarra adulta é curta. Desaparecem tão misteriosamente quanto chegam. A maioria é comida por pássaros e outros predadores. Mesmo as ninfas não estão a salvo debaixo do chão, pois muitas vezes são devoradas por larvas de besouros e outros parasitas que habitam o solo.

Se você viver até os 75 anos, só terá quatro oportunidades em sua vida de ouvir o som das cigarras da Espécie XIII. Se viver numa área infestada, não poderá perder isso. Mas se não viver, valerá a pena dispender seu tempo e ir atrás para ouvir um dos mais poderosos e elusivos cantores da natureza.
Para mais informações sobre cigarras e tópicos relacionados, consulte os links ABAIXO:


Mais links interessantes (em inglês)


Robert Valdes.  "HowStuffWorks - Como funcionam as cigarras".  Publicado em 13 de abril de 2004  (atualizado em 16 de julho de 2008) http://ciencia.hsw.uol.com.br/cigarra.htm  (28 de setembro de 2011)


 

 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

CIGARRA-COLORIDA Carineta formosa

Enviado por em 07/11/2010
Filmado na RPPN Corredeiras do rio Itajaí, em Itaiópolis (SC). Esta é uma das cigarras mais bonitas da Mata Atlântica. Ocorre também em outras regiões do Brasil. As larvas são subterrâneas e alimentam-se da seiva das raízes de plantas, como outras cigarras.

 

__________________________________________________

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

LIKE-FACEBOOK

VISITORS

free counters

solar terrestrial data