A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

O VERDADEIRO AMOR AOS ANIMAIS






HOJE É O DIA MUNDIAL DOS ANIMAIS




04/10/2011





VIVA OS ANIMAIS!


Que dia lindo é o de hoje lembrado como do companheiro da gente e que sentimos tanta afeição e que transmitimos o carinho e que recebemos tudo com sua companhia de amor. Digo que os estimamos demais e que choramos quando perdemos na doença ou na velhice.
Falo do cachorrinho ou do gatinho ou ainda o passarinho que nos acompanham na nossa vida. Dia 4 de Outubro é o dia deles. E como homenageá-los? Dando o carinho de sempre e lembrando que eles são parte do nosso lar. Bendito Deus que criou seres tão importantes e que preenchem nossos dias com tanto amor e felicidade.
A minha gatinha Lisa agradece com miados longos e me responde:- Eu tambem te amo! E o lar dos Kwamme enche de felicidade com tanta alegria que ela nos dá.
Em meu nome e da minha companheira, Neusa homenageamos a São Francisco o grande protetor de todos animais da nossa Terra.
Autor: Paulo Kwamme




Quatro de outubro é o Dia dos Animais, a mesma data em que se festeja o Dia de São Francisco de Assis. E não é coincidência, pois este santo é o protetor dos animais. Ele sempre se referia aos bichos como irmãos: irmão fera, irmã leoa. São Francisco de Assis também amava as plantas e toda a natureza: irmão sol, irmã lua... São expressões comuns na fala do santo, um dos mais populares até os nossos dias.
Nascido na cidade de Assis, em 1182, Francisco (quando ainda não era santo) tentou ser comerciante, mas não obteve sucesso. Nas cruzadas, lutou pela fé, mas com objetivos individuais de se destacar e alcançar glórias e vitórias. Até que um dia, segundo contam livros com a história de sua vida, Francisco recebeu um chamado de Deus, largou tudo e passou a viver como errante, sem destino e maltrapilho. Desde então, adotou um estilo de vida baseado na pobreza, na simplicidade de vida e no amor total a todas as criaturas.





Poesia de Magdalena Léa em homenagem aos animais.
"MIMOSA"
Um jornal noticiou:
"Perdeu-se uma cadelinha.
É branca, toda branquinha,
Com uma fita cor-de-rosa.
É bem mansinha e atende
Pelo nome de "Mimosa".
"Gratifica-se" - dizia -
"Com generosa quantia
A quem entregar"... e dava
O endereço afinal.
O homem larga o jornal
E se põe a comentar:
- "Não há dúvida, é você,
Pois isso logo se vê:
Branquinha, de fita rosa ...
Então, seu nome é Mimosa?
Assenta bem pra você!"
E afagando a cachorrinha,
que no seu colo se aninha:
- "Ora essa, é muito boa!
Deixaram você à toa
E depois vêm com a cantiga?
Mas isso não, minha amiga,
Não vou entregar é nada,
O castigo é merecido.
Se fosse bem vigiada,
Você não tinha fugido.
E quem foi que a socorreu
Quando andava aí perdida?
Portanto você nasceu
Foi nesse dia, querida!
Triste, suja, enlameada,
Faminta, correndo à toa,
Podendo ser esmagada
Aos pés de qualquer pessoa...
E eu salvei-a do perigo!
Não lhe dei comida, abrigo
E tudo, de coração?
Pois dizem que é generosa
A tal gratificação!
Mas isso a mim não me tenta,
Jogo o dinheiro na venta
De quem me tirar você,
Pois o seu dono sou eu.
O antigo dono seu...
Bem, há de se consolar!
Pegue a gratificação
E corra, e compre outro cão,
Que cães não hão de faltar,
Com você eu é que fico!
Capaz de ele ser bem rico,
E ter de tudo na vida,
Uma família querida.
Mas eu sozinho, solteiro...
E do "metal" nem o cheiro!
Escuta aqui, ó tetéia,
Posso ser um vagabundo,
Mas não há ouro no mundo
Que mude aqui minha idéia.
Mas toda vez lá saía
A notícia no jornal:
O outro não desistia
De encontrar o animal.
E cada dia aumentava
O prêmio pela Mimosa.
Cem mil reais andava,
Oferta bem generosa!
O homenzinho então lia,
A cachorrinha afagando
E bem alto, comentando:
- "És uma jóia!" - E ria.
"Que prêmio por seu sumiço!
Deixe porém que eu lhe diga:
Você, você, minha amiga,
Vale bem mais que isso!"
Como entendesse, Mimosa
Abana a cauda vaidosa.
Os dias se sucediam,
E sempre o preço subiam
Pela cachorra perdida.
E o homem punha-se a rir:
- "A coisa está divertida!"
Fazia já quinze dias
Que a cadelinha fugida
Vivia uma outra vida.
Não faltando à condição
De seu sexo volúvel,
Espera ali, no portão,
Novo dono e pressurosa
Salta lambendo-lhe a mão.
E ele ri satisfeito
Aconchegando-a ao peito
Com carinho e com ternura,
Começa então a leitura.
Mas súbito empalidece
Hoje ele não escarnece
Treme na mão o jornal...
Dessa vez o homem não riu
Pegou Mimosa e saiu
Foi entregá-la afinal.
É que não fala em dinheiro
A notícia nesse dia,
Apenas isto dizia:
"Pede-se à alma bondosa,
Que encontrou a Mimosa,
Que a entregue por piedade.
Sua dona é pequenina,
Tem seis anos a menina,
E adoeceu de saudade."
Autora: Magdalena Léa
Livro: "A Criança Recita"





O VERDADEIRO AMOR AOS ANIMAIS

Sinopse do vídeo: Palestra inspiradora de Gary Yourofsky, na íntegra, sobre direitos animais e veganismo, realizada na Universidade Georgia Tech, nos EUA, no verão de 2010. Ouça a esse sensacional palestrante que vai desmitificar mitos, inundar sua mente com fatos interessantes e ajudá-lo a fazer escolhas éticas para ter um coração e uma alma mais saudáveis . Seu estilo carismático de discurso é único e tem de ser visto por qualquer um que se preocupe com animais ou que deseje transformar o mundo num lugar melhor.


Canal de TheAnimalHolocaust
Vídeo enviado por Ana Luísa Pinto






*****

O que vou escrever nas linhas abaixo é exclusivamente para aqueles que estão se desenvolvendo para a próxima dimensão.

É a escravidão dentro da escravidão. É o humano comendo a carne de quem ele escraviza. E isso, não é diferente de comer a própria carne.

Eu quero falar aqui brevemente sobre um tipo cretino de “amor” aos animais. Eu falo da imbecilidade de ter um animal de estimação. Chamar de imbecilidade é pouco, pois ter uma “animalzinho” é a necessidade de suprir a própria demência. É puro egoísmo.

Isso é amor? Ou é posse?

Essa demente cultura de animais de estimação é um mercado podre de uma raça humana cretina para satisfazer suas debilidades.

Não há argumentos que sustentem essa cultura primitiva. Aonde há caridade aos animais, há deficiência de compreensão que eles merecem um respeito e amor muito além de soluções provisórias e hipócritas. Enquanto esta humanidade demente mantém essa cultura de ter ou proteger um animalzinho, e não importa se ele o acolheu da rua ou o comprou, esse MERCADO jamais acabará.

É de dar nojo ouvir alguém dizendo que ama seu bichinho. Se amasse mesmo os animais, este insano não sustentaria este mercado.

Aos mais limitados que levaram este conceito na cara, antes de re-agir, compreendam que aqui eu falo algo muito além do que esta humanidade diz que é amor. E que fique muito claro que não estou sugerindo que se abandone o seu animal de estimação, muito pelo contrário, mas que se tenha verdadeiro respeito e amor. Pois enquanto houver esta imbecilidade cultural, haverá procriações dos mesmos para satisfazer os insanos e manter este mercado.

Os bovinos, suínos, caprinos e aves são criados para serem abatidos e sustentar o canibalismo desta humanidade. Ou quando falamos “somos todos Um” os animais ficam de fora? Da mesma forma eu afirmo: TODOS os animais de estimação são procriados para satisfazer o egoísmo humano.

VERGONHA!!!

É hora de tomar vergonha na cara, se querem seguir em frente para uma dimensão de Unidade.

Anthonio Magalhães

*****
Um filme complementar para ampliar a noção do canibalismo humano:

A COVA (The Cove) – Documentário



Documentário vencedor do Oscar “The Cove”.
"A Cova" é um exemplo surpreendente de jornalismo investigativo com o coração de um thriller de ação. Liderados por Louie Psihoyos, líder da Sociedade de Preservação do oceano, e O’Barry Richard, uma autoridade reconhecida internacionalmente em matéria de formação de golfinho que é mais conhecido por seu trabalho em 1960, o Flipper programa de TV, o filme segue uma equipe de mergulho de alta tecnologia em um missão de descobrir a verdade sobre o Programa Internacional de capturar o comércio praticado em Taji, Japão.

Utilizando o estado-da-arte das técnicas, incluindo microfones ocultos e câmeras, a equipe descobre como esta pequena aldeia costeira serve como um microcosmo massivo horripilante de crimes ecológicos acontecendo Cove worldwide.The é também dirigido por Louie Psihoyos, que traz confiança e precisão para a conta do seu “insider” da presente operação de vida ou morte encoberta. Um célebre fotógrafo, que criou imagens para a National Geographic por 18 anos, Psihoyos capta a magnificência dos golfinhos si e para o oceano que os rodeia.

CLIQUE AQUI para acessar e fazer download deste filme.


Dia Internacional da Paz




http://minhamestria.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

LIKE-FACEBOOK

VISITORS

free counters

solar terrestrial data