SAO 206462 possui disco de gás e poeira com cerca de duas vezes o diâmetro da órbita de Plutão
A Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) anunciou, nesta semana, que astrônomos do observatório de Subaru, no Havaí, encontraram um novo tipo de estrela.
O astro em questão, batizado de SAO 206462, está a 400 anos luz da Terra, na direção da constelação do Lobo, e apresenta uma característica única: possui braços em espiral.
Os astrônomos estão habituados a observar braços em galáxias espirais, mas esta é a primeira vez que se observam, de forma clara, em torno de uma estrela.
A SAO 206462 chamou a atenção, primeiramente, por ter um grande disco circumestelar, um disco de gás e poeira que rodeia a estrela e se estende por mais de 22 bilhões de km.
Os investigadores suspeitavam que planetas talvez pudessem se formar no interior deste disco, que tem cerca de duas vezes o diâmetro da órbita de Plutão.
No entanto, quando eles deram uma olhada mais de perto para a SAO 206462 não encontraram planetas, mas sim braços. Embora não seja possível afirmar o motivo de sua existência, simulações detalhadas em computador mostraram que a os braços podem ser um sinal da formação de planetas no disco.
Segundo o astrônomo Carol Grady, integrante da equipe responsável pela descoberta, a força gravitacional provocada pela presença de um planeta no interior de um disco circumestelar poderia perturbar o gás e poeira de forma a criar braços em espiral.
“Modelos teóricos mostram que um planeta num disco circumestelar pode ser culpado pela existência de um braço em espiral em cada lado do disco”, afirmou o astrônomo.
Como a SAO 206462 possui dois braços em espiral, os astrônomos acreditam na existência de dois planetas, uma para cada braço.
No entanto, a equipe alerta que outros processos, que descartem a presença de planetas, podem ser a causa dessas estruturas, mas por enquanto são necessárias mais observações até que se chegue a uma conclusão definitiva acerca da origem desses braços em espiral.
Fonte: Nasa