A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Meteoro é filmado cortando os céus da ilha de Porto Rico

Meteoro em Porto Rico

Meteoro é filmado cortando os céus da ilha de Porto Rico
Várias pessoas relataram ter avistado meteoros cortando os céus de Porto Rico.Os relatos foram registrados pela Sociedade Astronômica do Caribe (SAC), a qual explicou que a Terra está passando por zonas de resíduos de vários cometas, e por isso estaríamos observando alguns meteoros, especialmente tarde da noite.Veja abaixo o vídeo do meteoro filmado na ilha de Porto Rico em 21 de julho passado.Fonte do vídeo: kevinizooropan3m3Colaboração: Sel

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/29/meteoro-e-filmado-cortando-os-ceus-da-ilha-de-porto-rico/#ixzz2afzBC3qB Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

terça-feira, 30 de julho de 2013

Disco voador é filmado em aeroporto de Paris, França

Disco voador é filmado em aeroporto de Paris, França

Disco voador real, ou mais uma filmagem forjada?Disco voador real, ou mais uma filmagem forjada?Objeto parecido com um disco voador é alegadamente filmado por um passageiro de avião que estava em avião que decolava do aeroporto de Paris, França.O passageiro diz que estava fazendo uma filmagem pela janela e, sem querer, filmou o objeto que aparece no vídeo abaixo.Primeiramente dá para notar que um objeto cruza o céu rapidamente. Já na versão mais lenta pode-se ver mais detalhes do alegado objeto, que desaparece em somente quatro quadros de vídeo.Seria verdadeiro?Veja:embedded by Embedded Video
Fonte do vídeo: Yves Herbo (Obrigado Moyses)n3m3Fonte: R7Colaboração: Rafael MT, Willis, Valdir Junior
Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/29/disco-voador-e-filmado-em-aeroporto-de-paris-franca/#ixzz2aZfspZyJ Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

Sinais de rádio vindos do cosmos intrigam astrônomos

sinais de rádio vindos do espaço

Sinais de rádio vindos do cosmos intrigam astrônomos

Ithaca, Nova Iorque, EUA, 26 de julho de 2013 – No início deste ano, astrônomos da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, calcularam que, somente em nossa galáxia – a Via Láctea – exista 100 bilhões de planetas habitáveis similares à Terra.

Se o nosso universo tem 13.8 bilhões de anos de idade, e o nosso sistema solar somente 4,5 bilhões, há também a possibilidade de que exista uma inteligência muito mais velha que nós e muito mais avançada tecnologicamente lá fora.  Michio Kaku, um físico quântico, até descreveu a possibilidade da existência de diferentes categorias de civilizações avançadas em nosso universo.  Eles se comunicariam de galáxia para galáxia?  Que tipo de sistemas de energia estaria envolvido neste processo?  Isto pode parecer ficção científica, mas até mesmo os astrônomos mais sérios pensam nessas questões.Recentemente, em 5 de julho passado, no periódico Science, foi publicado um artigo intitulado, “A Population of Fast Radio Bursts at Cosmological Distances” (Uma População de Descargas Rápidas de Rádio à Distâncias Cosmológicas – trad. livre n3m3), por um grupo de cientistas da Inglaterra, Austrália, Itália e dos Estados Unidos.  O assunto foi a respeito de vários forte sinais de rádio inexplicáveis que ocorreram em 2007, conhecidos como “Lorimer burst”, que não tiveram nenhum raio-X ou raio gama associados a eles.  Assim, alguns astrônomos dizem que isso tende a eliminar a fonte dos mesmos como sendo explosões de raios gama, a união de duas estrelas de neutrônio, a união de dois buracos negros, ou a evaporação dos mesmos.Ainda mais surpreendente, os sinais de rádio foram calculados como vindos de 5 a 10 bilhões de anos atrás, no princípio, ou na meia idade do nosso universo.  O que poderia emitir tais sinais de rádio tão fortes num passado longínquo da evolução do universo?  As especulações foram de que tenha sido duas estrelas de neutrônio se unindo; ou uma estrela magnética morrendo; ou talvez um enorme buraco negro destruindo uma ou mais estrelas.  Já que os dados atuais são de somente uma ‘fatia’ do universo, Dan Thornton, autor principal do artigo publicado no Science, concluiu que “talvez 10.000 dessas descargas estejam ocorrendo todos os dias por todo o céu.  Estas descargas de rádio ainda são um mistério.  Uma dispersão tão alta – mais do que 40º do plano galáctico – pelo que sabemos não poderiam ter vindo de dentro da Via Láctea“.Um outro astrônomo escreveu um artigo no periódico Science, especulando que talvez os cálculos sobre a idade das descargas de rádio estejam errados – ou “as descargas poderiam representar uma classe inteiramente nova de uma fonte que não conhecemos nada a respeito ainda“.  O astrônomo é Jim Corde, PhD., Professor de Astronomia na Universidade de Cornell em Ithaca, estado de Nova Iorque, EUA.  Além de seus trabalhos de pesquisa e ensino, a cada dois anos o Professor Cordes leciona um curso popular em Cornell chamado, “A procura por vida no universo“.Quanto à questão desses sinais terem sido enviados por civilizações alienígenas, o Professor Jim Corde disse: “Bem, provavelmente não, porque se fosse proveniente de ETs, o que significariam? Seriam algum tipo de sinal que estejam transmitindo para seus próprios propósitos?  Ou talvez para sinalizarem outras civilizações lá fora, do tipo mensagem em uma garrafa?Seja qual for a fonte destes sinais de rádio, uma coisa é certa: quase todos os dias nós humanos somos lembrados de que o número de coisas que ainda temos que aprender sobre o nosso universo pode ser tão infinito como ele próprio aparenta ser.n3m3Fonte das informações: earthfiles.com

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/29/sinais-de-radio-vindos-do-cosmos-intrigam-astronomos/#ixzz2aZfM5G3q Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

OVNIs em zona fronteiriça militarizada entre a China e a Índia eram planetas?

OVNIs em zona fronteiriça militarizada entre a China e a Índia eram planetas?
Os planetas Júpiter e Vênus.  OVNIs?  Fala sério.

Os planetas Júpiter e Vênus. OVNIs? Fala sério!Como publicado em vários artigos aqui no OVNI Hoje, desde o final do ano passado, luzes que aparecem no céu de uma zona de fronteira altamente militarizada da Índia com a China têm sido investigadas pelo exército indiano.  A princípio, pensava-se que se tratavam de sondas chinesas que eram enviadas para espionar o lado da Índia.Ao total, teriam sido 329 avistamentos documentados de objetos voadores não identificados na região próxima a Pangong Tso. Os militares também relataram sobre avistamentos de OVNIs sobre a região de Ladakh violaram o espaço aéreo por pelo menos 155 vezes.Agora, de acordo com vários canais de notícia na Internet, dois astrônomos indianos que foram contratados para solucionar o mistério disseram que as luzes não eram nada mais do que os planetas Júpiter e Vênus.Tushar Prabhu, astrônomo do Instituto Indiano de Astrofísica disse: “Nossa tarefa foi a de determinar se os objetos voadores não identificados eram celestes, ou terrestres“.  E ele determinou!Com a constatação dos astrônomos, só nos restam duas possibilidades:1. Ou os soldados indianos que relataram os avistamentos nunca saíram à noite e são muito ignorantes; ou2. Os astrônomos estão forçando a barra.n3m3Fonte das informações: www.ibtimes.co.in


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/30/ovnis-em-zona-fronteirica-militarizada-entre-a-china-e-a-india-eram-planetas/#ixzz2aZexQR3w 
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

O misterioso monumento submerso do Japão

O misterioso monumento submerso do Japão


Seria esta a escultura de uma face com um cocar?

Seria esta a escultura de uma face com um cocar?Desde 1995, mergulhadores e cientistas japoneses estudam esta misteriosa formação subaquática, que foi desde o seu descobrimento, pela maior parte ignorada pela imprensa corporativa.A formação está localizada a alguns quilômetros da ilha de Yonaguni, e os estudos geológicos calcularam a idade destes monumentos como tendo 11.000 anos de idade, o que os colocaria como uma das edificações mais antigas do planeta.Assista o documentário sobre esta misteriosa formação subaquática do Japão:Fonte do vídeo: ptfelicitasn3m3Colaboração: Jefferson David

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/30/o-misterioso-monumento-submerso-do-japao/#ixzz2aZeasHie Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

sexta-feira, 26 de julho de 2013

SOLID: um instrumento para a detecção de vida extratarrestre está sendo testado

SOLID: um instrumento para a detecção de vida extratarrestre está sendo testado

SOLID

SOLID (Signs of Life Detector, ou Detector de Sinais de Vida).Uma equipe internacional de cientistas iniciou uma série de testes na base McGill Arctic Research Station, no Ártico Canadense, com o instrumento chamado de SOLID (Signs Of Life Detector, ou Detector de Sinais de Vida).Trata-se de um dispositivo portátil, baseado em microarrays (“laboratórios-em-um-chip“) de anticorpos, projetado e construído para detectar e identificar os compostos bioquímicos mediante a análise de amostras de solos e líquidos.O componente principal do SOLID é denominado de LDChuip (Life Detector Chip, ou Chip Detector de Vida), que é um componente com mais de 400 anticorpos para diferentes microorganismos e compostos biológicos, capaz de detectar restos de vida.Se houver microorganismos em Marte em condições similares às que encontramos no Ártico, poderíamos detectá-los com instrumentos como o SOLID”, diz Victor Parro, cientista responsável pelo projeto, do Centro de Astrobiologia (CAB, CSIC-INTA) na Espanha.SOLID já foi validado em outras partes da Terra, como no deserto do Atacama, no Chile, e na Ilha Decepção, na Antártica, que são análogos terrestres aos ambientes detectados em Marte.n3m3Fonte: cab.inta-csic.es

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/26/solid-um-instrumento-para-a-deteccao-de-vida-extratarrestre-esta-sendo-testado/#ixzz2aCgJqywc Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quinta-feira, 25 de julho de 2013

“Faca” de 1,4 milhões de anos é encontrada em sítio arqueológico na Espanha

objeto-pedra-mais-antigo-europa-afp

“Faca” de 1,4 milhões de anos é encontrada em sítio arqueológico na EspanhaMADRID, Espanha -Arqueólogos que escavavam o sítio pré-histórico de Atapuerca, no norte da Espanha, anunciaram na quarta-feira (24) o descobrimento de um sílex de 1,4 milhões de anos.  Isto significa que é o vestígio de presença humana mais antigo já encontrado.Esta pequena folha de silex, com aproximadamente 3 centímetros, foi descoberta na Sima del Elefante, a uns dois metros abaixo donde em 2007 encontraram a mandíbula mais antiga da Europa, com 1,2 milhões de anos.O fragamento de grande valor, trata-se de uma faca talhada há 1,4 milhões de anos, explicou um dos diretores da escavação, Eduald Carbonell, na apresentação dos resultados da campanha anual executada em julho.Pensamos que com este achado, nos aproximamos ao limite aceito para a primeira ocupação da Europa Ocidental, que é de aproximadamente 1,5 milhões de anos“, anunciaram os investigadores em um comunicado.De uma riqueza excepcional, os depósitos arqueológicos da Serra de Atapuerca, próxima a Burgos, cobrem um período que vai até 1,5 milhões de anos.Ferramentas de pedra descobertas nesta campanha “confirmam a continuidade do povoamento humano na Europa, desde sua origem, há aproximadamente 1,5 milhões de anos, até o aparecimento do Homo antecessor, há uns 850.000 anos“, adicionou o comunicado.Estes descobrimentos, segundo os investigadores, “contradizem portante as hipóteses apresentadas por alguns investigadores, que explicavam o primeiro povoamento da Europa a partir da sucessão de pequenas ondas de hominídeos, sem continuidade no tempo e condenadas a extinção, perante sua incapacidade para se adaptarem aos novos espaços“.n3m3Fonte:  www.elnuevoherald.com

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/25/faca-de-14-milhoes-de-anos-e-encontrada-em-sitio-arqueologico-na-espanha/#ixzz2a7GPAKso Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Vírus gigante pode ter vindo de Marte

Vírus gigante pode ter vindo de Marte

Publicado no site www.jornaldaciencia.com:pandoravirusCientistas da Universidade Aix-Marseille, na França, descobriram um vírus gigante e tão incomum que eles acreditam se tratar de um vírus que veio de outro planeta, como Marte.  O vírus, apelidado de Pandoravírus, tem até dez vezes o tamanho de outros vírus comuns, e 94% dos seus genes não se assemelha a nada já visto nos demais microrganismos na Terra.Os pesquisadores franceses também disseram que embora inédito, e por isso desconhecido pela Ciência, o vírus gigante não representa um sério risco à saúde humana, pois só é encontrado debaixo d’água. No entanto, os pesquisadores, que publicaram suas descobertas na revista Science, acreditam que o vírus abre uma série de perguntas sobra à história da vida na Terra.Dr. Jean-Michel Claverie, quem descobriu o vírus, disse: “Acreditamos que esses novos Pandoravírus surgiram a partir de um novo tipo de célula ancestral que já não existe mais”.Um vírus comum mede aproximadamente de 10 nanômetros a 500 nanômetros, já o Pandoravírus mede cerca de mil nanômetros, sendo grande o suficiente para ser visto sob a lente de microscópios básicos.Confundido, a princípio, com uma pequena bactéria, por ser grande e de formato irregular, a equipe obteve amostras de sedimentos da costa do Chile e de uma lagoa na Austrália. Elas foram levadas para o laboratório e colocaram em uma solução repleta de antibióticos, na tentativa de matar qualquer bactéria presente.Estas amostras livres de bactérias foram expostas a amebas, levando em conta que se as amebas morressem, é porque ainda existia algo mais nas amostras que causou a morte destas. A experiência provou que as amostras continham grandes quantidades de Pandoravirus.Quando a equipe estudou esse novo vírus encontrado, eles descobriram que seu código genético era duas vezes maior que o Megavírus, que era considerado, até então, o maior vírus já visto medindo cerca de 440nm.Esse não foi o único choque da equipe de pesquisadores franceses. Ao constar o tamanho do vírus, eles também concluíram que apenas 6% de seus genes eram compatíveis com os genes de outros microrganismos comuns na Terra, o que leva a supor que a origem desse vírus possa ser de outro planeta, e alguns especulam que possam ter vindo de Marte.Os pesquisadores ainda não sabem por que essa forma celular tornou-se um vírus, mas acredita-se que foi o único meio viável de garantir a sobrevivência.Após a descoberta desse vírus gigante, os cientistas permanecem na expectativa de encontrar outros vírus parecidos com este.Quanto mais investigamos, mais descobrimos que nada sabemos.n3m3Fonte: Jornal da CiênciaColaboração: Hannah Hertz, Marcelo Manhães de Amorim, Glorianv, Gobatto, Henrique C.O, Willis, Edna Galbiatti 

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/24/virus-gigante-pode-ter-vindo-de-marte/#ixzz2a1TAHZys Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

terça-feira, 23 de julho de 2013

Se encontrarmos vida extraterrestre, é provável que seja vida pós-biológica

Se encontrarmos vida extraterrestre, é provável que seja vida pós-biológica


Exploração espacial usando inteligência artificial


Há 200.000 anos, durante uma época de dramáticas mudanças climáticas, o Homo sapiens (humanos modernos) evoluíram na África [assim prega a ciência].  Vários cientistas de renome estão se perguntando: Está a raça humana entrando num novo ponto evolucionário, com inflexão pós-biológica?

Paul Davies, um britânico físico teórico, cosmologista, astrobiólogo e Diretor do Centro Beyond para Conceitos Fundamentais na Ciência, e co-Diretor do Iniciativa Cosmológica da Universidade Estadual do Arizona – EUA, diz que quaisquer alienígenas que estejam explorando o universo, o estão fazendo através de máquinas que utilizam Inteligência Artificial (IA).  Não somente essas máquinas são mais capazes de enfrentar as duras condições espaciais, mas também possuem o potencial para desenvolverem inteligência muito além da capacidade do cérebro humano.Eu acho que isso seja muito provável – aliás, inevitável – que a inteligência biológica seja somente um fenômeno transitório, uma fase passageira na evolução do universo“, escreveu Davies em seu texto científico ‘The Eerie Silence‘. “Se encontrarmos com a inteligência extraterrestre, eu acredito que ela seja muito provavelmente de natureza pós-biológica.Na procura atual por vida extraterrestre avançada pelo SETI, os especialistas dizem que as chances são maiores de detectar a IA, ao invés de vida biológica, porque o período entre o desenvolvimento de tecnologia de rádio e de inteligência artificial seria breve.Se construirmos uma máquina com a capacidade intelectual de um humano, então dentro de 5 anos seu sucessor seria mais inteligente que toda a humanidade reunida“, diz Seth Shostak, astrônomo chefe do SETI.  “Uma vez que a sociedade inventa a tecnologia que poderia fazê-la tocar o cosmos, ela esta somente a algumas centenas de anos de mudar seu próprio paradigma de percepção à inteligência artificial“, diz eleAs máquinas dos ETs seriam infinitamente mais inteligentes e duráveis do que a inteligência biológica que as criou.  Máquinas inteligentes seriam imortais, e não precisariam estar na zonas climáticas confortáveis de estrelas, onde o SETI atualmente foca suas pesquisas.  Uma IA poderia auto-direcionar sua própria evolução; cada atualização seria criada com a soma total do conhecimento pré-carregado de seu predecessor.Eu acho que poderíamos despender pelo menos uma pequena porcentagem de nosso tempo… procurando nas direções que talvez não sejam as mais atraentes em termos de inteligência biológica, mas talvez onde maquinas conscientes estejam.“  Shostak acha que o SETI deveria considerar expandir sua procura nas regiões das estrelas quentes, ricas em energia e matéria, buracos negros e estrelas de neutrônio.Antes do ano 2020, espera-se que os cientistas lancem robots espaciais inteligentes que irão explorar o universo para nós.A exploração robótica provavelmente sempre será a desbravadora para exploração humana do espaço longínquo“, diz Wolfgang Fink, físico e pesquisador da Caltech. “Ainda não colocamos um ser humano em Marte, mas temos robôs lá agora.  Neste sentido, é muito mais fácil enviar um explorador robótico…n3m3Fontedailygalaxy.com, via The Eerie Silence

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/23/se-encontrarmos-vida-extraterrestre-e-provavel-que-seja-vida-pos-biologica/#ixzz2ZuuTi0R5 Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Sondas alienígenas podem estar por todo o nosso sistema solar, dizem cientistas

sondas alienígenas

Sondas alienígenas podem estar por todo o nosso sistema solar, dizem cientistas
Sondas alienígenas, de mundos distantes, poderiam já estar em nosso sistema solar – mas somos muito estúpidos para encontrá-las.Essencialmente é o que diz um estudo apresentado por matemáticos da Universidade de Edinburgo, na Escócia, que usaram computadores super poderosos para a simulação de uma gama de cenários.Entre os cenários estava a ideia de que esquadrilhas de sondas alienígenas de alta tecnologia, invisíveis à nossa tecnologia relativamente primitiva, poderiam ter explorado nossa galáxia usando uma técnica conhecida como técnica de ‘estilingue’.  E as probabilidades, surpreendentemente, são muito favoráveis.Sondas interestelares podem executar manobras ‘estilingue’ ao redor de estrelas que visitam, ganhando velocidade ao extraírem energia do movimento das estrelas ao redor do centro da galáxia.Nossa sonda espacial Voyager usa esta técnica, mas usa planetas como estilingue, ao invés de estrelas, o que significa que as velocidades atingidas não são tão altas.Para pesquisar toda a Via Láctea, nossa galáxia, em 10 milhões de anos (o que não é tanto tempo em termos de espaço), as sondas alienígenas teriam que viajar a 1/10 da velocidade da luz.Duncan Forgan e Arwen Nicholson sugerem que isso seja inteiramente possível, e ainda adicionaram a possibilidade de que os robôs poderiam se auto replicar e se auto reconstruir a partir das rochas e poeira espaciais.Então, porque ainda não os avistamos?  Pode ser devido ao fato deles estarem bem camuflados.Forgan disse: “O fato de não termos avistado sondas deste tipo torna difícil acreditar que civilizações que construíram essas sondas tenham existido na Via Láctea pelos últimos milhões de anos“.Os pesquisadores também extraíram informações de outros trabalhos anteriores, inclusive de um estudo de 1986 pelo especialista Robert Freitas, da NASA>As sondas se auto camuflam para testarem a tecnologia ou a inteligência de espécies recipientes, onde estas devam passar o teste antes de serem permitidas a comunicação com a sonda“, disse Forgan.n3m3Fonte: www.hunfingtonpost.co.ukColaboração: Marcelo Manhães de Amorim, Henrique Carvalho

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/22/sondas-alienigenas-podem-estar-por-todo-o-nosso-sistema-solar-dizem-cientistas/#ixzz2ZphYU9a1 Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

Bola de fogo corta o céu do Acre – Brasil. Estrondo e tremor de terra são sentidos em vários municípios

Bola de fogo corta o céu do Acre – Brasil. Estrondo e tremor de terra são sentidos em vários municípios

Aparentemente, mais pedras vindas do espaço. Segundo o site Acre Alerta!:Imagem meramente ilustrativa.Imagem meramente ilustrativa.O céu do Acre foi cortado por uma bola de fogo, na noite deste domingo (21). Um clarão no céu seguido de um forte estrondo e tremor de terra, ocorridos por volta das 22h45, causou medo em centenas de moradores de vários municípios do Acre.Diversas postagens no Facebook, de moradores dos municípios de Feijó, Manoel Urbano, Sena Madureira e Rio Branco confirmaram ter presenciado os sinais, exatamente no mesmo momento.São várias relatos de pessoas que viram o clarão no céu como uma “bola de fogo” e um barulho parecido como o de um trovão, fazendo, logo em seguida, o chão trepidar.A redação entrou em contato com um morador de Manoel Urbano que afirma ter presenciado o fenômeno, bem como ouvido relatos de diversos outros moradores da região. “O pessoal da zona rural sentiram com maior intensidade. Estou em busca de fotos ou vídeos, mas até o momento só relatos“, declara Marcio Levy.O fenômeno pode ter sido ocasionado pela queda fragmentos de satélite, classificados como lixo espacial, ou de um meteorito.O OVNI Hoje lembra que enquanto uma rocha espacial está cortando o céu, ela é chamada de meteoro, e não meteorito, que é quando a rocha já se encontra estacionária na superfície da Terra.n3m3Fonte: Acre Alerta!Colaboração: Aleksander.L

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/22/bola-de-fogo-corta-o-ceu-do-acre-brasil-estrondo-e-tremor-de-terra-sao-sentidos-em-varios-municipios/#ixzz2Zph1yLiX Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

Telescópio registra gigantesco buraco coronal solar

Telescópio registra gigantesco buraco coronal solar

De acordo com o site Apolo11.com:Apesar da baixa atividade solar dos últimos dias, o Sol continua a surpreender, desta vez revelando um gigantesco buraco coronal que se estende desde o pólo norte da estrela até boa parte das latitudes elevadas. É uma região fria e escura, fonte de intensas rajadas de partículas altamente carregadas.buraco_coronal_20jul2013_20130720-161654Os buracos coronais são uma característica típica do Sol e podem aparecer em diversos lugares durante os diferentes momentos do ciclo de atividade solar.No momento, o ciclo solar 24 está caminhando para seu momento máximo, quando são esperadas tempestades solares muito mais intensas daquelas observadas recentemente, embora alguns pesquisadores acreditem que o ápice desse ciclo já tenha sido alcançado no mês de maio…Para ler o restante do artigo, favor acessar o site de origem Apolo11.com.n3m3Fonte: Apolo11.comColaboração: Antonio Gomez

Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/21/telescopio-registra-gigantesco-buraco-coronal-solar/#ixzz2ZpgXA1JiFollow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Cometa ISON se aproxima e telescópio Hubble registra novas imagens

Cometa ISON se aproxima e telescópio Hubble registra novas imagens


Nos próximos dias, o super cometa C/2012 S1 ISON deverá deixar a região espacial conhecida como "linha de congelamento" e passará a receber radiação solar suficiente para evaporar o gelo de sua estrutura e fazer seu brilho aumentar. O show está só começando.
Cometa Ison em múltiplas exposições
Clique para ampliar
Durante sua jornada rumo ao Sistema Solar interior, o cometa ISON não encontrou radiação solar suficiente para fazer o gelo em sua estrutura evaporar, já que se encontrava sob as baixíssimas temperaturas do espaço, próximas a 200 graus negativos.
Entretanto, à medida que se aproxima do Sol os efeitos da radiação começarão a produzir efeitos. E isso está para acontecer.
Zona de CongelamentoNeste momento, ISON está a 420 milhões de quilômetros do Sol e os últimos cálculos mostram que no final de julho e começo de agosto o cometa sairá da "zona congelada", uma região que começa a 370 milhões km do Sol e fria o suficiente para que os compostos de hidrogênio como a água, amônia e metano se condensem em grãos sólidos de gelo.
Saindo dessa zona, o gelo de ISON vai passar a evaporar muito mais rapidamente, o que fará seu brilho aumentar.
ImprevisívelO interessante é que a partir desse momento tudo pode acontecer, até mesmo a ruptura do cometa em vários pedaços como já aconteceu com outros objetos semelhantes após atravessarem a linha de congelamento.
Em sua rota de aproximação, em 1 de outubro ISON passará a apenas 10 milhões km do planeta Marte e caso se comporte direitinho, em 28 de novembro deverá contornar o Sol com brilho mais forte que o da Lua cheia, embora nenhum pesquisador, profissional ou amador, coloque a mão no fogo por isso.
Depois disso, em 27 de dezembro o cometa passará a apenas 63 milhões de km da Terra, mas se risco de colisão.
Cometas mais BrilhantesAté hoje, o cometa mais brilhante já observado e que teve sua magnitude estimada foi C/1965 S1 Ikeya-Seki, que em 1965 foi visto à luz do dia ao brilhar com 10 magnitudes negativas. Depois dele foi a vez de C/2006 P1 McNaught, o segundo cometa mais brilhante já registrado. McNaught atingiu magnitude negativa de -5.5 e se tornou um show no céu de todo o mundo, inclusive no Brasil, onde também pode ser visto à luz do dia.
ISON: Muito BrilhanteDe acordo com alguns modelos de magnitude, o brilho de C/2012 S1 ISON poderá atingir até 19 magnitudes negativas. Isso é cerca de 4000 vezes o brilho que do cometa C/1965 S1 Ikeya-Seki apresentou em 1965 ou então 40 vezes o brilho da Lua Cheia.
No entanto, em uma projeção feita pelo Apolo11 usando o modelo SSD (Solar System Dynamics), da Nasa, a menor magnitude (maior brilho) alcançada foi de -11.64 magnitudes, a ser observado no dia 29 de dezembro de 2013.
Apesar de ser uma diferença muito grande para outros modelos, ainda assim o brilho de C/2012 S1 ISON será quase três vezes maior que o do cometa Ikeya-Seki ou 25 vezes mais intenso que o do cometa C/2006 P1 McNaught, que chamou muito a atenção em 2007 e pode ser visto até mesmo durante o dia, inclusive nas grandes capitais.
Fotos: no topo, cometa C/2012 S1 ISON visto pelo telescópio Hubble. Na cena, o cometa parece ter três núcleos, mas essa aparência é devido às múltiplas exposições feita pelo telescópio, que manteve as estrelas de fundo imóveis. Isso permitiu registrar o deslocamento do cometa. Acima, gráfico mostra o deslocamento orbital de ISON em direção ao Sol. Créditos: Hubblesite, NASA, Apolo11.com. Direitos Reservados É vedada a utilização deste texto Leia nosso Termo de Uso e saiba como publicar este material em seu site ou blog 



quinta-feira, 18 de julho de 2013

Projeto Secreto Aquila?

Projeto Secreto Aquila?


Nosso leitor,do ovnihoje, Aleksander.L, conduziu uma investigação a respeito de um objeto anômalo que aparece em um segmento de uma foto da superfície de Marte.  Veja o que ele propõe:
—–
Investigação: Aleksander.L
Hipóteses: Projeto Secreto Aquila, nave alienígena ou base.
Missão: Mars Global Surveyor
MOC narrow angle image foto:  M11-01782
Informações técnicas da foto pode ser visto aqui: http://www.msss.com/moc_gallery/m07_m12/images/M11/M1101782.html
Image ID (picno): M11-01782
Image start time: 2000-01-12T22:28:17.64 SCET
Image  width:    512      pixels
Image height:  13056      pixels

Seja qual for a resposta definitiva, uma coisa que não podemos é ficar as cegas diante da colossal evidência que resplandece sob o local de impacto de alguma coisa.
A foto obtida pelo Satélite da Missão Mars Global Surveyor, mostra CLARAMENTE um objeto impactado no solo na Região Pólo Norte de Marte.
Vocês vão entrar diante de informações sólidas e os argumentos são fortes. Não cabe a respostas irônicas sem um aprofundamento diante do tema.

ANÁLISES E OBSERVAÇÕES
1 – Objeto caiu com um impacto violento no solo abrindo um imenso buraco com uma clareira circular
2 – O objeto é muito grande , isso é evidente
3 – Essa região fica próximo ao pólo norte
4 – Ali perto vemos Geisers em pleno funcionamento, também algo muito revelador
5 – A semelhança gritante com o Shuttle da NASA ou Projeto Space Shuttle Aquila.
O original para encontrar o local da queda, amplie e corra até no final da imagem que verão objeto  no solo.
E  na mesma se encontra a um nível absurdamente incrível de evidências no solo.  Se reparem tem sinais de civilizações, como traços no solo, formando encontros em geometrias perfeitas, dando a entender que alguma inteligência está por detrás.
Sem mais conversa vamos à foto e continuação das análises:
002jy3[3]
002jy3ck7[3]
Notem as semelhanças nas fotos acima.
 
Agora informações técnicas da foto nos da conta da largura da mesma = 2,83 km
misura2ug9[3]
Os dados são originais da foto no link postado no começo do tópico: http://www.msss.com/moc_gallery/m07_m12/images/M11/M1101782.html
Utilizando uma régua na foto, fazemos as seguintes contas para obter o tamanho estimado do objeto no solo.
2,83 km = 2.830 metros 
Escala da régua tem 12 centímetro da régua = 120 milímetros
2830 / 120 = 23,48 
Medida do objeto na foto 6 milímetros,  6 x 23,48 = 141, 48 metros de largura o objeto para menos ou para mais
Muitas pessoas, eu já vi comentando, que o objeto se parece muito com o “Space Shuttle“. Ele realmente se parece muito com o ônibus. E disseram que não achava que o ônibus poderia deixar a órbita da Terra .
No entanto, há um outro … aquele que não é do conhecimento público … abaixo está um desenho dele. Este é especialmente equipado para levar um transporte de carga especial entre LEO, a Lua e Marte. O projeto é denominado O TRANSPORTE DE CARGAS AQUILA. 
medida
Medida estimada do objeto.
Mais informações sobre o local insólito:
geisers
Os riscos pretos identificam atividade de Geisers nessa região.

TOP SECRET - ESPAÇONAVE DE CARGA AQUILA (EUA)
Aquila_002[3]
Aquila_001_compare[3]
Muita semelhança com a NAVE AQUILA.
Ele é chamado de Aquila. Este veículo pode oferecer mais de 50 toneladas em órbita baixa da Terra a partir do Centro Espacial Kennedy, usando uma combinação de componentes Space Shuttle e Delta IV pesados .
Na L-1, três desses estágios, uma vez utilizados, são equipados com trem de pouso e outros elementos necessários para produzir um veículo Lunar capaz, e é reabastecido a partir de propelentes entregues da Terra para colocar a base e para fornecer uma única visita de uma de seis pessoas da equipe, para auxiliar as operações de robótica necessárias para produzir uma base totalmente funcional.
O trabalho continua no “pay-off” de fase, ou seja, As missões estão fazendo uso dos propelentes obtidos a partir do “poço gravitacional” da superfície da Lua.
A missão a Marte partindo de L-1 com massa de 686 toneladas pode ser colocada no Transito de Marte
Essa trajetória gastaria propelentes de origem lunar e apenas um dos veículos Lunares, exigindo um adicional de 13 lançamentos de Aquila.

O Aquila é construído por boosters Star Craft. Boosters Star Craft é de propriedade de Buzz Aldrin.
Toda a informação relacionada é aqui estão em documento pdf.  Alguns já não existem mais, mas no entanto resgatei algumas informações.
Buscando por um dos documentos  LPI 6013.PDF, encontrei um link da NASA com esse code-nome de documento. Segue o link para baixar:http://www.lpi.usra.edu/meetings/moon98/pdf/6013.pdf .  Mesmo assim, não sana as dúvidas.
Continuando nas informações.

Documento 2 EUA PATENT 5.092.545
Método de entrega de Fluido Lunar Gerado naÓórbita da Lua, e voltando para Orbita da Terra usando um tanque externo.
Número da publicação: US5092545
Data de publicação: 1992/03/03
Inventor: BUTTERFIELD ANSEL J (EUA); GOSLEE JOHN W (EUA)
Requerente: NASA (EUA)

RESUMO
Um método e aparelho são fornecidos para a entrega de fluido lunar gerado da órbita da Terra a partir da órbita lunar. Transporte ocorre em um tanque externo de um ônibus que foi devidamente equipado em órbita da Terra para viajar entre a Terra e a Lua.
O armamento do tanque externo inclui a adição de um motor, um sistema elétrico, um sistema de comunicação, um sistema de orientação, um dispositivo de aerofrenagem, e uma pluralidade de tanques de armazenamento de líquidos interligados ao hidrogênio e tanques de oxigênio do tanque externo. O tanque externo é, então, propelido à órbita lunar pela primeira vez usando a propulsor na Terra.
Em órbita lunar, os tanques de armazenamento são preenchidos com o fluido lunar gerado com o restante volumes tanque cheio de oxigênio, gerado o líwuifo lunst e hidrogênio, que servem como propulsores para o retorno do tanque para a órbita da Terra, onde o fluido é desligado e carregado. Os restantes de oxigênio e hidrogênio lunar gerados é, então, suficiente para devolver o tanque externo para a órbita lunar para que um ciclo subsequente de oferta de líquidos seja repetido.
Uma estação espacial em uma órbita mais elevada da Terra é preferencialmente usada para equipar o tanque externo, e uma em órbita lunar é usada para armazenar e transferir o oxigênio líquido e hidrogênio para o tanque externo. O fluido lunar gerado é preferencialmente 3He.

The Aquila Cargo Transport
Versão Um
Aquila_Amroc_01Foguete americano [Amroc] em março de 1985, George Koopman e seus colegas pesquisaram e desenvolveram os primeiros foguetes híbridos de trabalho sempre a ser testados nos Estados Unidos. Que eles conseguiram fazer isso por apenas US $ 10 milhões ao longo de 4 anos foi um excelente exemplo de quão eficiente a livre iniciativa pode ser quando autorizados a trabalhar sem restrições. Foi também uma homenagem ao espírito de condução George Koopman e ao seu desejo de trabalhar para a realização de seus sonhos. George Koopman queria Amroc ser a expresso Federal de espaço.
George Koopman, um dos co-fundadores do foguete americano Co., e presidente e executivo-chefe da Amroc desde a sua criação, morreu 19 de julho de 1989, de ferimentos sofridos em um acidente automobilístico. Ele tinha 44 anos. Mr. Koopman foi um exemplo de uma dessas pessoas que, literalmente, construíram a América – o empresário. Era o sonho de Mr. Koopman, e do sonho de seus colegas americanos fundadores Foguete Co. e financiadores, para fundar uma empresa que iria criar o acesso a preços acessíveis para o espaço.
Funcionários AMROC afirmaram que os preparativos para o lançamento da empresa primeiro espaço, prevista para 14 de agosto de 1989, continuará como planejado. O foguete de sondagem SET-1 (Flight Test único motor n º 1), o impulso 324.000 N, foi lançado em 5 de outubro de 1989.
Uma extensa base de conhecimento foi produzida pela Empresa Foguete americana sobre sua história de oito anos. Os direitos técnicas, dados proprietários e patentes produzidos por AMROC foram o resultado de mais de US $ 20 milhões em pesquisa híbrido foguete motor. AMROC projetado e teste quente disparou uma grande variedade de motores de foguetes híbridos de todos os tamanhos, utilizando propelentes não tóxicos armazenáveis. AMROC completou cerca de 300 testes motores híbridos de 100 a 250.000 libras de empuxo.
Em agosto de 1998 SpaceDev, primeira empresa do mundo em exploração comercial do espaço, adquiriu direitos exclusivos de propriedade intelectual, incluindo as três patentes originalmente emitidas para a Companhia foguete americano (Amroc), para a sua tecnologia híbrida foguete motor. Além disso, adquiriu SpaceDev posse exclusiva e acesso a uma grande quantidade de documentos de engenharia Amroc, planos, projetos, resultados de testes, dados de produção, e outros materiais relacionados com motores de foguetes e veículos de lançamento Amroc.
A oportunidade para motores de foguetes híbridos em espaço comercial
Estey, PAUL N.HUGHES, BRIAN GR (American Foguete Co., Camarillo, CA)
AIAA-1992-3431, 1992, PV1992_3431.pdf /;http://pdf.aiaa.org/preview/1992/PV1992_3431.pdf (taxa de R $ 25,00 para a página do documento todo 01 livre)
SAE, ASME, e ASEE, Conferência e Exposição Conjunta de Propulsão, 28, Nashville, TN, julho 6-8, 1992. 10 p.

Motores de foguete híbridos que utilizam um oxidante líquido e um combustível sólido oferecem o potencial de significativamente redução do custo de sistemas de propulsão para veículos espaciais lançadores. Sistemas de propulsão híbridos têm uma elevada eficiência energética, um processo de combustão e robusto, devido à separação dos propulsores tanto fisicamente e por fase, os híbridos não pode explodir. É esta característica fundamental de segurança que permite que o sistema híbrido a ser fabricado e operado com custos inferiores aos dos sistemas competitivos sólidos e líquidos. Devido a a natureza de custo baixa, segurança de híbridos, eles são muito atraentes para os operadores comerciais que devem ser responsivos para agendar e custar. Os princípios básicos do sistema de propulsão híbrida e sua operação são discutidos juntamente com um breve histórico e o status do desenvolvimento do motor híbrido. Aplicações potenciais do motor de foguete híbrido ou veículos de lançamento espacial comercial são apresentados.
——-
Amroc, anteriormente conhecida como Starstruck, teve grande dificuldade no desenvolvimento de seu próprio foguete. Dornheim, Amroc Mantém Pessoal Chave Apesar Cutbacks Após Pad Fogo, AVIAÇÃO WK. & TECNOLOGIA ESPACIAL., 30 de outubro de 1989, aos 20 anos.   No entanto, Amroc continua a desenvolver o seu novo reforço Aquila. Os esforços de marketing estão em curso e Amroc antecipa testar Aquila dentro dos próximos anos, com lançamentos comerciais para breve. Entrevista telefónica com James Bennett, presidente da Companhia foguete americano (15 de abril de 1991).
 Veículo de Lançamento Aquila industrial
Família: Miscelânea
País: EUA
Status: Desenvolvimento de 1988.
Outras denominações: Aquila
Bibliografia: * 248 – Nave Espacial Interplanetária

LEO Payload: 1,818 kg. a: 217 Orbit km. Thrust Liftoff: 1135630 kg. Massa Total: 591,180 kg. Diâmetro do núcleo: 1,8 m. Comprimento total: 70,0 m. Lançamento Preço R $: 8,00 milhões. em 1987 dólares de preços. Unidade Flyaway Custo $: 19,00 milhões. em 1985 dólares da unidade.

* Número de Estágio: 0. 12 x AMROC Massa bruta: 31.000 kg. Missa vazio: 5.900 kg. Thrust (VAC): 94.970 kgf. Isp: 284 sec. Queimar tempo: 75 seg. Isp (sl): 283 seg. Diâmetro: 1,8 m. Span: 1,8 m. Comprimento: 19,5 m. Propulsores: Lox / sólidos, não Motores: 1. H1500

* Número Stage: 1. 4 x AMROC Massa bruta: 31.000 kg. Missa vazio: 5.900 kg. Thrust (VAC): 94.970 kgf. Isp: 284 sec. Queimar tempo: 75 seg. Isp (sl): 283 seg. Diâmetro: 1,8 m. Span: 1,8 m. Comprimento: 19,5 m. Propulsores: Lox / sólidos, não Motores: 1. H1500

* Número de Estágio: 2. 2 x AMROC Massa bruta: 31.000 kg. Missa vazio: 5.900 kg. Thrust (VAC): 94.970 kgf. Isp: 284 sec. Queimar tempo: 75 seg. Isp (sl): 283 seg. Diâmetro: 1,8 m. Span: 1,8 m. Comprimento: 19,5 m. Propulsores: Lox / sólidos, não Motores: 1. H1500

* Número de Estágio: 3. 1 x AMROC Massa bruta: 31.000 kg. Missa vazio: 5.900 kg. Thrust (VAC): 94.970 kgf. Isp: 284 sec. Queimar tempo: 75 seg. Isp (sl): 283 seg. Diâmetro: 1,8 m. Span: 1,8 m. Comprimento: 19,5 m. Propulsores: Lox / sólidos, não Motores: 1. H1500
Outros Projetos Designados Aquila
Drone. Ano: 1975
País: EUA. Departamento de Defesa e Designação: MQM-105A
Nome Popular: Aquila.
Lockheed MQM-105 Aquila – Ensaio Histórico © Andreas Parsch

Enfim , pessoal vocês viram as informações bastante intrigantes e fortes a Respeito da Nave Espacial Cargueiro Aquila.
A dúvida quanto ao que aparece na foto vai continuar.  Se o objeto que vemos na foto é o projeto Aquila, não sei.  Se é o Space Shuttle da NASA, não sei. Se é um nave ou base Alienígena, não sei..
O fato é que você terá que escolher entre as 3 opções. Naves humanas ou coisa alienígena?
Seja qual for a resposta, já deixa uma enorme conspiração em cima, caso seja um projeto humano que caiu em Marte, sem conhecimento público geral.
Se for uma nave humana carregando astronauta, essa opção é ainda mais perturbadora.
E por fim para melhor visualização do objeto. Trago uma foto que colori para realçar detalhes:
M1101782onibus[4]
ass[4]
No fim vocês decidem se acreditam ou não. Minha parte já fiz. Apresentei os dados e basta cada um digerir da forma que achar melhor.
- Aleksander.L


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/07/18/projeto-secreto-aquila-espaco-do-leitor/#ixzz2ZShTspY1
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Como um cometa: cientistas mapeiam a cauda do Sistema Solar

Há muito se especula sobre a existência de uma cauda do Sistema Solar, mas até hoje essa possibilidade era apenas teórica. Agora, com base em dados coletados pela missão IBEX, pesquisadores conseguiram ver pela primeira vez como é essa estrutura.
Cauda do Sistema Solar
Clique para ampliar
Apesar de já terem sido detectadas em torno de outras estrelas, o estudo da cauda do Sistema Solar tem sido apenas objeto de pesquisa teórica uma vez que as partículas encontradas na cauda e em toda a heliosfera não brilham, o que dificulta sua observação através dos instrumentos convencionais.
Para encontrar a heliocauda, como é chamada, pesquisadores estadunidenses utilizaram uma técnica conhecida "Imageamento Energético dos Átomos Neutros", o que permitiu examinar as partículas neutras criadas nas colisões atômicas que ocorrem na fronteira do Sistema Solar.
"Muitos modelos sugeriam a existência da heliocauda, cada um deles mostrando ela com um shape diferente, mas até agora não tínhamos conseguido ver essa estrutura", disse David McComas, principal investigador dos dados do satélite IBEX junto ao Southwest Research Institute, de Santo Antonio, no Texas. "Sempre que desenhávamos a trilha, o fazíamos com linhas pontilhadas e indefinidas, pois não tínhamos a menor ideia de como era essa cauda", disse McComas.
A técnica utilizada permitiu reconstruir a cauda de modo bem preciso, uma vez que o caminho das partículas neutras não é afetado pelo campo magnético do Sol. Em vez disso, as partículas viajam em linha reta e sua observação garante modelar com precisão o que acontece nas regiões mais distantes da heliosfera.
O trabalho de McComas e sua equipe foi publicado no prestigiado Astrophysical Journal na edição de 10 de julho e abrange os três primeiros anos de dados coletados pela missão IBEX (interstellar Boundary Explorer ou Explorador da Fronteira Interestelar), da Nasa.
Trevo de quatro folhasO estudo demonstrou que a heliocauda é formada por uma combinação de movimentos lentos e rápidos de partículas, formando dois lóbulos laterais de movimento lento rodeado por fluxos de partículas rápidas em cima e embaixo. Esse padrão, que lembra um trevo de quatro folhas é atribuído ao fato de que nos últimos anos o Sol emitiu o vento solar mais rápido nas regiões polares e mais lento nas áreas próximas ao equador, sendo este o padrão mais comum no atual ciclo solar 24.
No entanto, o formato de trevo não se alinha perfeitamente com o Sistema Solar. O shape é ligeiramente rotacionado, indicando que à medida que se movimenta para longe do Sol e de sua influência magnética, as partículas carregadas começam a ser empurradas para uma nova orientação, alinhando-se com os campos magnéticos da Via Láctea.
Os cientistas também não sabem ainda o tamanho dessa cauda, mas acreditam que vai enfraquecendo até ficar imperceptível no espaço interestelar.

Artes: no topo, o sistema Solar e sua cauda, registrada através de dados coletados pela sonda IBEX, da Nasa. Acima, vídeo explica a detecção da estrutura. Créditos: Nasa, The Southwest Research Institute, Apolo11.com.

 Direitos Reservados É vedada a utilização deste texto Leia nosso Termo de Uso e saiba como publicar este material em seu site ou blog 


Ocorreu um erro neste gadget

LIKE-FACEBOOK

VISITORS

free counters

solar terrestrial data