A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

A BIODIVERSIDADE ESTÁ AMEAÇADA PELA AÇÃO IMPETUOSA DO HOMEM!

sábado, 30 de novembro de 2013

Seríamos capazes de detectar vida em um planeta prestes a morrer?

Seríamos capazes de detectar vida em um planeta prestes a morrer?

Poderíamos detectar sinais de vida em planetas morimbundosO astro-biólogo Jack O’Malley-James, da Universidade de St. Andrews em Fife, Escócia, e seus colegas, estão preocupados sobre como os planetas habitáveis poderiam parecer em idade avançada.  Além disso, sua equipe também quer saber por quanto tempo poderemos detectar a vida em tais planetas, durante o curso de seu período habitável.
Para encontrar as respostas, O’Malley-James rodou alguns modelos computacionais de vários climas e biosferas de possíveis exoplanetas, inclusive aqueles que têm aproximadamente 2,8 bilhões de anos a mais do que a Terra.
Como suas pesquisas apontam, a diversidade de vida e tamanhos populacionais seriam significativamente reduzidos durante os estágios finais de um planeta.  A morte da biosfera do planeta começaria com a degradação do planeta, seguida por temperatura que se elevam e o subsequente desgaste das rochas carregadas de sílica, conhecidas como silicatos.  A próxima fase seria a extinção de todos os animais, desde os grandes vertebrados, até os pequenos.  Os invertebrados seriam os últimos a morrer.  De forma fascinante, um planeta habitável teria sua conclusão muito similar ao seu início, ou seja, um planeta repleto de micro organismos.
Escrevendo para a Astrobiology Magazine, Charles Q. Choi explica como estas mudanças poderiam influenciar a ‘detectabilidade’ de um planeta:
  • Os  cientistas calcularam que a extinção das plantas mais avançadas diminuiria o oxigênio na atmosfera, bem como os níveis de ozônio, para concentrações não detectáveis pelos astrônomos, por aproximadamente 1,11 bilhões de anos de agora.  Ainda assim, esta queda em oxigênio poderia significar que níveis de compostos isoprenos voláteis poderiam se acumular no ar, potencialmente servindo como uma bio-assinatura até que as plantas se extinguirem. O isopropeno é uma substância biológica que normalmente tem um tempo de vida muito curto, já que ele reage rapidamente com o oxigênio.
  • A morte das plantas e animais também geraria grandes quantidades de material em decomposição e liberaria compostos na atmosfera, tais como o metanitiol.  Este gás é somente conhecido a partir das fontes biológicas, embora a luz solar rapidamente o decompõe.  O gás resultante, etano, poderia servir como uma bio-assinatura potencial, até que todas as plantas e animais estivesse extintos.
  • O Metano poderia também ser um bio-marcador, quando todos os outros gases bio-marcadores se tornassem indetectáveis na atmosfera de um planeta prestes a morrer.
Uma outra consideração, é claro, seria a influência de extraterrestres inteligentes sobre a biosfera, inclusive com níveis elevados de dióxido de carbono.  Mas O’Malley mencionou que “é certamente possível que a vida inteligente possa ter um papel na facilitação destas mudanças para um evento futuro, talvez por alguma forma de geo-engenharia… ou mesmo o ato de se mover um planeta para fora de sua órbita, até uma posição mais fria.  Predizer o que isso iria causar na bio-assinatura de um planeta seria um grande desafio, mas isto simplesmente poderia fazer com que a biosfera parecesse mais jovem do que esperaríamos, dada a idade do planeta“.
n3m3
Fonte: io9.com


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/30/seriamos-capazes-de-detectar-vida-em-um-planeta-prestes-morrer/#ixzz2m8kyWOyN
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Cometa ISON pode ter se desintegrado após aproximação com o Sol

Cometa ISON pode ter se desintegrado após aproximação com o Sol


O cometa ISON se foi!
O cometa ISON se foi!
Os últimos dados vindo da NASA e da AEE (Agência Espacial Europeia – ESA), sugerem que o Cometa ISON pode ter se desintegrado.
Como publicado aqui, o resultado já era de se esperar, mas havia uma pequena esperança do cometa sobreviver sua passagem próxima ao Sol e nos presentar com um espetáculo inesquecível.
As últimas fotos do Solar and Heliospheric Observatory (SOHO)satélite que está posicionado para ter uma visão ininterrupta do Sol, mostra a cauda do cometa, mas não o próprio.
Tudo indica que o cometa se foi, levando com ele todas as teorias de que estava acompanhado por naves alienígenas, ou de que era um objeto extremamente anômalo.
n3m3


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/28/cometa-ison-pode-ter-se-desintegrado-apos-aproximacao-com-o-sol/#ixzz2lyuKZyV1
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Pequeno corpo humanóide é encotrado no Irã

Pequeno corpo humanóide é encotrado no Irã


Pequeno humanóide do IrãLembra dos pequenos humanóides, um deles encontrado no Chile e apresentado pelo Dr. Steven Greer, e o outro encontrado na Rússia?
Se as informações abaixo forem verídicas, aparentemente estes ‘homenzinhos’ andam pelo mundo todo.
Butch Witkowski, diretor do UFO Research Center (Centro de Pesquisa de OVNIs) da Pennsylvania enviou [não está claro para quem] os seguintes e-mail e fotos que recebeu em 11 de agosto de 2013:
Recebemos estas fotos de um cavalheiro da Republica do Irã, esta manhã às 05h12min.  As fotos anexadas e o e-mail estão abaixo.  Ele declarou nos e-mails seguintes que está no processo de enviar o objeto para uma ressonância magnética e raios-X.  Eu lhe manterei informado.
Pequeno humanóide do Irã 2
Veja abaixo o suposto e-mail enviado pelo iraniano:
Caro Sr./Sra.
Eu sou um iraniano que encontrou esta estranha criatura morta.  Ela parece com um humano, e tem a altura de 7 cm.  Ela tem olhos muito grandes, pele amarela e uma cabeça maior do que seu corpo.
O fenomenal é que o corpo não congela em uma ‘situação fria’ e não cheira mal no clima quente, e ainda não apodreceu.
Seus músculos ainda parecem fortes, com cabelos curtos e dentes parecidos com os de animais selvagens.
Se você estiver interessado, eu enviarei fotos.
Agradeço por sua pronta resposta.
Saudações,
Hamid G.
Pequeno humanóide do Irã 3
Pelo que parece, a pequena criatura contava com um aparelho digestivo.
Abaixo está um vídeo sobre o assunto:
Fonte do vídeo: sonofmabarker
Após pesquisar mais sobre o assunto, encontrei no site www.phantomsandmonsters.com as informações de que o iraniano que enviou as fotos ao Sr. Witkowski tem tentado vender a criatura desde 2008, pela maior parte para grupos de pesquisa ovniológicas e museus.  Aparentemente, sua especialidade é a de negociar mercadorias principalmente relacionadas ao paranormal.
Embora este fato tenda a denegrir a veracidade do achado, pela sua similaridade não se pode descartar por completo a possibilidade de que esta pequena criatura seja associada às outras duas criaturas encontradas no Chile e na Rússia.
Contudo, até o momento não há maiores informações sobre o assunto.
n3m3
Colaboração: M3NIS


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/26/pequeno-corpo-humanoide-e-encotrado-ira/#ixzz2lsRNWGuA
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

terça-feira, 26 de novembro de 2013

China testa drone invisível

China testa drone invisível


De acordo com A Voz da Rússia:
7china-droneA China efetuou testes bem-sucedidos de um veículo aéreo não tripulado invisível, relata a mídia.
Sabe-se que o VANT,  o nome de código “Espada Aguda”, efetuou um voo de 20 minutos.
Pressupõe-se que em breve drones semelhantes sejam fabricados em série.
De acordo com jornalistas, a China planeja usar estes drones para espionar territórios em disputa.
A pergunta que não quer calar: Será mesmo, ou seria meramente propaganda política?
n3m3
Colaboração: glorianv


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/24/china-testa-drone-invisivel/#ixzz2lmeiaLDx
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Seriam reais as alegações de que o governo do México liberou prova contundente da visitação extraterrestre?

Seriam reais as alegações de que o governo do México liberou prova contundente da visitação extraterrestre?

Alegados artefatos maias mostrando naves alienígenas
Alegados artefatos maias mostrando naves alienígenas
Vários leitores têm nos enviado links sobre a notícia de que o governo mexicano teria recentemente liberado informações e fotos de artefatos maias, os quais, alegadamente, mostram gravuras do que seriam naves alienígenas, astronautas, etc.
Contudo, este assunto não é nada novo e já em agosto de 2012 havíamos publicado aqui o primeiro de uma série de artigos sobre o tema, e terminamos aquele primeiro artigo com a frase: “Tomara que seja verídico.
E por que terminamos aquele artigo com tal frase, levantando dúvidas sobre a veracidade das notícias?
Primeiramente, veja abaixo um trecho de um dos artigos que está circulando novamente pela Internet nestes últimos dias, bem como o vídeo (em inglês) que provavelmente causou o ressurgimento do assunto, seguido da resposta à pergunta acima:
(BIN) –Para aqueles que ainda duvidam a respeito do contato extraterrestre com nossas civilizações antigas, desta vez isto não poderia estar mais claro!  O governo mexicano acertou dentro da história escondida da raça humana.  Na seção esquecida da arqueologia o país publicamente desvendou uma série de peças maias descobertas há aproximadamente 80 anos por uma equipe do Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), no sitio de Calakmul, Mexico.
Estas peças excepcionais foram apresentadas no ano passado e serão o assunto de um documentário a ser apresentado este outono, produzido por Raul Julia-Levy e dirigido por Juan Carlos Rulfo, vencedor do Festival de Filmes Sundance…  …Este documentário considera o nome provisional de “Revelações dos Maias 2012 e Além“.
embedded by Embedded Video
Fonte do vídeo: DAHBOO77
Assim, a resposta para pergunta deixada acima é: Porque da mesma forma que o papel aceita qualquer coisa que nele é escrita, a Internet também apresenta qualquer informação que nela for publicada.
Embora este humilde blog esteja torcendo para que estas informações sejam verídicas, ainda não conseguimos encontrar uma confirmação oficial disso. Também não ajudou o fato de que Raul Julia-Levy teve algumas complicações e acabou não publicando seu tão prometido e revelador documentário.  E além disso, visitamos o site do INAH e lá nada encontramos sobre o assunto.
Alías, seria de grande valia para todos se algum de nossos leitores pudesse nos elucidar quanto a veracidade das alegadas informações de que o governo mexicano teria feito tais declarações, e se os objetos seriam mesmo reais.
Enquanto não há confirmação, veja a sequência de links abaixo, com os outros artigos relacionados a este assunto que foram publicados aqui no OVNI Hoje:
Ficaremos antenados.
n3m3


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/25/seriam-reais-alegacoes-de-governo-mexico-liberou-prova-contundente-da-visitacao-extraterrestre/#ixzz2lhBwBcgT
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

domingo, 24 de novembro de 2013

A cada dia que passa, mais evidências aparecem indicando que a história deve ser reescrita

A cada dia que passa, mais evidências aparecem indicando que a história deve ser reescrita


Idade da PedraApesar dos arqueólogos acharem que a história da humanidade sobre a Terra já está toda resolvida, ainda há muitos mistérios a serem desvendados, e uma nova descoberta acaba de confirmar este fato.
Um novo trabalho publicado na última edição do PLoS ONE, revela um detalhe espetacular sobre uma coleção de pontas de lança que foram desenterradas num sítio da Idade da Pedra em Gademotta, Etiópia, o que pode significar que a história antiga e a linha do tempo humana deve ser reescrita.  Estima-se que as lanças encontradas datam de 280.000 anos atrás, pré-datando os fósseis humanos conhecidos por 85.000 anos.
Yonatan Sahle, que é um pesquisador com pós-doutorado da Universidade da Califórnia, no Centro de Pesquisa da Evolução Humana em Berkeley, analisou o material com outros membros de sua equipe, determinando que as lanças foram feitas de rocha obsidiana encontrada localmente e que seriam necessárias habilidades e concentração consideráveis para alguém criá-las.  Os pesquisadores empregaram os padrões mais avançados, seguindo os mesmos procedimentos e protocolos usados em análises anteriores na mesma área.
Seria muita petulância acharmos que já dominamos todo o conhecimento de nossa história, quando ainda há muitas falhas e lacunas a serem preenchidas dentro do que já foi descoberto.
n3m3
Fonte das  informações: www.unknowncountry.com


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/24/cada-dia-passa-mais-evidencias-aparecem-indicando-historia-deve-ser-reescrita/#ixzz2lZNTJxNQ
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Cientistas identificam meteorito mais antigo de Marte já encontrado na Terra

Cientistas identificam meteorito mais antigo de Marte já encontrado na Terra


A "Beleza Negra".
A “Beleza Negra”.
Segundo cientistas, uma rocha negra descoberta no Deserto do Saara pode ser o meteorito mais antigo de Marte que já foi encontrado.
Pesquisas anteriores sugeriam que a rocha tinha cerca de 2 bilhões de anos, mas novos exames mostram que a rocha, apelidada de “Beleza Negra”, tem mais de 4 bilhões de anos e teria se formado nos primórdios de Marte.  Este meteorito é formado por cinco fragmentos.
Esta (rocha) nos conta sobre uma das épocas mais importantes da história de Marte“, disse, Munir Humayan, professor da Universidade Estadual da Flórida (EUA) e autor da pesquisa. “É quase certo (que a rocha) veio das terras altas do sul, um terreno cheio de crateras que forma o hemisfério sul de Marte“, continuou. “A crosta de Marte deve ter mudado muito rapidamente com o passar do tempo.”
Houve um grande episódio vulcânico em toda a superfície, que então formou uma crosta e, depois disso, a atividade vulcânica teve uma queda dramática“, prosseguiu Humayan. “Quando isso aconteceu, devia haver água na forma gasosa, dióxido de carbono, nitrogênio e outros gases para produzir uma atmosfera primordial, além de um oceano primordial. É um período de tempo muito empolgante – se houve vida em Marte, a origem seria neste período em particular“, acrescentou o cientista.
Até hoje, foram encontrados cerca de 100 meteoritos marcianos na Terra, a maioria deles sendo bem mais jovem do que a “Beleza Negra”, datando de 150 milhões a 600 milhões de anos.  A hipótese é a de que essas rochas teriam caído na Terra após um asteróide ou cometa ter se chocado contra a superfície de Marte e ejetado as rochas para o espaço, as quais acabaram caindo na Terra.
Humayan diz que agora planeja com sua equipe analisar a rocha para procurar vestígios de algum tipo de vida marciana. Mas, segundo o professor, enquanto a rocha permaneceu no deserto do Saara, pode ter sido contaminada por organismos vivos da Terra.
Veja abaixo um vídeo liberado pela NASA, mostrando a evolução de Marte, desde quando era um jovem planeta e tinha um atmosfera espessa, sendo quente o suficiente para suportar oceanos de água líquida, passando por vários períodos até os dias de hoje, quando o planeta se torna árido:
Fonte do vídeo: NASA Goddard
n3m3
Fonte das informações: noticias.uol.com.br


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/22/cientistas-identificam-meteorito-mais-antigo-de-marte-ja-encontrado-na-terra/#ixzz2lP2xsCb9
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

Agência espacial ensina como ‘visitar’ planetas sem sair da Terra 1

Agência espacial ensina como ‘visitar’ planetas sem sair da Terra 1

Em artigo recém publicado no site noticias.uol.com.br:
Sistema solar
Agência Espacial Europeia (AEE) produziu um guia de viagens sobre locais na Terra que parecem ambientes de outros planetas, permitindo que turistas visitem áreas “alienígenas” sem precisar pagar uma caríssima viagem de turismo espacial.
O Catálogo de Ambientes Análogos Planetários lista 30 lugares na Terra e os descreve ao estilo dos guias de viagem tradicionais.
Mas, graças às suas características climáticas e geológicas, esses destinos se parecem com ambientes de outros planetas – ou, pelo menos, como os cientistas acreditam que esses mundos distantes devam ser.
A lista de lugares parecidos com outros planetas inclui vulcões, desertos e áreas de tundra espalhados nos sete continentes.
Para os que sonham em conhecer Marte ou a Lua, a sugestão é ir até Tenerife, nas Ilhas Canárias. O guia sugere que, no território espanhol, o vuldão Teide oferece uma “boa analogia visual e geográfica”.
Os vales mais secos e gelados da Antártida, o vulcão Kilauea no Havaí e vários locais da Islândia e da Austrália também estão no novo guia.
O catálogo também mostra crateras formadas pelo impacto de meteoritos no Estado americano do Arizona, e no Rio Tinto, na província espanhola de Huelva…
Para ler o restante do artigo, favor acessar o site de origem, clicando aqui…


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/22/agencia-espacial-ensina-como-visitar-planetas-sem-sair-da-terra-1/#ixzz2lP2Rvi2q
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

A Colheita do Medo

A Colheita do Medo


O Dr. Steven Greer, fundador do Disclosure Project, o qual reuniu inúmeras testemunhas governamentais, militares e privadas para darem respaldo à realidade alienígena e a ocultação governamental dos fatos, recentemente escreveu um artigo onde ele desabafa sobre a forma com que o assunto do fenômeno dos OVNIs, principalmente no que diz respeito as abduções por alienígenas,  é abordado até mesmo por pesquisadores profissionais da área.
Veja:
GreerSteven2A procura pela verdade requer a habilidade de ver além das aparências das coisas, até o significado e substância por detrás das formas. Em nenhum campo de estudo e pesquisa isto é mais essencial do que na OVNIologia, um campo cercado por mistério, informação parcial, informação equivocada e desinformação deliberada.  E, infelizmente, em nenhum outro campo há uma deficiência tão grande desta exata qualidade.
Tome, por exemplo, o presente clima onde qualquer rumor, fantasia e observação é manipulada para encaixar dentro de uma estrutura pré-concebida de projetos ‘alienígenas’ sinistros e manipulações.  Desde abduções, até mutilações animais, até ocorrências em bases secretas militares dos EUA, todas são descritas dentro do molde ‘alienígenas sinistros’.  Seus status quo penetrantes, se não mencionados, servem para colocar tais eventos, reais ou imaginários, nas mesmas sombras escuras e um tanto assustadoras.  O ato de se afastar desta sabedoria convencional, esta linha não oficial, causaria a zombaria daqueles auto apontados especialistas em ações, que, afinal de contas, sabem o que é melhor.
Parece que o pêndulo da histeria dos OVNIs balançou por um ciclo completo agora: Se na década de 1950 foi a era dos lindos Venusianos, deuses espaciais e salvadores da federação galáctica, a última década nos trouxe a era dos “alienígenas” sinistros, sequestradores de mães e crianças, colhendo gado, gatos, cães e até mesmos fetos, com propósitos nefastos, e a colaboração entre militares fascistas e “alienígenas”, num plano de dominação da Terra!  Pela maior parte, aqueles que alegam ser pesquisadores objetivos de abduções por OVNIs, bem como os escritores e jornalistas de OVNIs, tem sido levados por esta histeria, esta colheita do medo.
Mesmo aqueles que sinceramente pretendem “somente descrever os fatos” são afetados pelo medo dominante, pela negatividade e histeria.  Palavras, tais como vítima, abduzido, alienígena, mutilação, estupro, sinistro, perturbador, alarmante, enganação, controle, manipulador, mau, e assim por diante, são aceitas como membros automáticos imediatos do dicionário de OVNIs, obrigatórios e inquestionáveis. Há uma abundância de interpretações automáticas e uma falta real de análise profunda, as quais nos deixam com conclusões praticamente inquestionáveis e não desafiadas, as quais são uniformemente negativas.  Ao invés de coletivamente coletarmos fatos, analisarmos tendências e fazermos planos inteligentes para a pesquisa futura e para as interações entre OVNIs e humanos, existe uma máquina progressivamente poderosa de histeria que faz surgir a colheita do medo.  E os fatos que não se encaixam dentro deste medo e do paradigma de negatividade, ou são ignorados, ou são deliberadamente ridicularizados como memórias e decepções.
A vítima real em tudo isto, é claro: A verdade.
A verdade é dura de ser discernida entre o barulho da histeria e as nuvens do medo que atualmente pairam sobre a comunidade que estuda os OVNIs.  Eventos tendem a ser mal interpretados e até mesmo censurados, e aqueles fatos que sobreviverem intactos são de qualquer forma apresentados com uma pátina de medo e paranóia.  O perigo em tudo isto é que podemos perpetuar esta tendência, a qual, embora inicialmente falsa, pode criar sua própria realidade, bem como seus próprios conflitos futuros.
Devemos pensar seriamente e refletir muito mais sobre este assunto, pois fazer o contrário pode resultar em consequências sérias e potencialmente catastróficas, não só para a humanidade como um todo, mas também para os observadores individuais do fenômeno dos OVNIs.  Na verdade, nós criamos nossa própria realidade, e devemos contemplar profundamente o que a realidade pode acabar sendo.
Além dessas preocupações abstratas, há um questão mais imediata e ética do que toda esta histeria está fazendo aos numerosos perceptivos inocentes do fenômeno OVNI.  Além do fato que a confiança está sendo continuamente, se não intencionalmente distorcida, aqueles indivíduos (conhecidos como abduzidos e contactados) que têm tido uma interação próxima  com os OVNIs e seus ocupantes, estão sendo forçados, às vezes cruelmente, a negar quaisquer aspectos positivos ou edificantes de seus encontros, e são deixados para viver somente com os aspectos assustadores e negativos da experiência.  Isto é comum?  Sim e com excesso!
Temos entrevistado vários indivíduos, os quais declaram que os assim chamados “pesquisadores de abdução” não somente reforçaram uma certa interpretação negativa de geradora de medo de suas experiência, mas vão além e realmente “jogam fora” quaisquer aspectos da experiência que não se encaixe com este preconceito de “paradigma do medo”.  Ou seja, experiências positivas, amáveis, curadoras e edificantes com ETs, ou são ignoradas, ou taxadas de memórias auto induzidas que somente fazem parte de uma enganação sinistra por parte dos ETs.  Objetivamente, a abertura da mente e a verdade são jogadas fora, para que estas experiências possam se encaixar na estrutura das conclusões negativas preconcebidas (isso se não forem omitidas).
Por um lado, estes pesquisadores despenderão grandes esforços para estabelecer a credibilidade e veracidade de seus clientes, para então dar uma reviravolta e ignorarem, ou ativamente ridicularizarem aqueles aspectos da experiência que não se encaixam com o próprio paradigma do pesquisador.
Ser for para escolhermos entre os fatos destes casos, não poderíamos simplesmente afirmar que as experiências negativas sejam parte da memórias auto induzidas, ativadas pelos próprios medos e inseguranças internas de um indivíduo, enquanto as memórias edificantes e espirituais sejam as “verdadeiras”?  Se formos escolher entre os fatos, porque não escolher somente as alternativas felizes?  Na verdade, uma alternativa é tão desonesta e perigosa quanto a outra, e ambas deveriam ser evitadas.  É imperativo que aceitemos – e reportemos – todos os fatos, e então analisemos seus significados de forma calma e não histérica.
Com as informações e experiências que coletivamente possuímos até agora, não podemos proclamar que os ETs sejam conquistadores do espaço do tipo Darth Vader sinistro , nem podemos afirmar que sejam deuses perfeitos do espaço.  Nossa polarização sobre esta questão é uma das principais manifestações de uma histeria coletiva que é penetrante e improdutiva.  E a maior tarefa que nos encara é a eliminação desta histeria e a superação do nosso próprio medo.
-Steven M. Greer, MD
Embora muitas pessoas sejam desconfiadas das intenções do Dr. Greer dentro do estudo do fenômeno dos OVNIs, não há como negar a sua contribuição positiva para o despertar da população em geral quanto a veracidade da realidade deste fenômeno, com o lançamento de seu Disclosure Project em 9 de maio de 2001.
A versão original em inglês do artigo do Dr. Greer pode ser acessada no site www.siriusdisclosure.com
n3m3


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/09/colheita-medo/#ixzz2lJghemSv
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Cientista: “A física quântica pode provar que há vida após a morte”

Cientista: “A física quântica pode provar que há vida após a morte”


Professor Lanza
Professor Robert Lanza.
As discussões sobre a possibilidade de vida após a morte tendem a focar em crença, porém, um cientista está sugerindo que pode haver uma evidência sólida de que exista mesmo vida após partirmos desta.
Robert Lanza, professor adjunto do Instituto Regenerativo de Medicina da Universidade de Wake Forest, é um proponente do biocentrismo.  A idéia do Professor é a de que, ao invés do Universo criar a vida, ele é na verdade um produto de nossa consciência.
Lanza diz que a morte “não pode existir no sentido real“. Ele propõe: “A vida é uma ventura que transcende nossa forma linear ordinária de pensar.  Quando morremos, não o fazemos em uma ‘matriz randômica de bola de bilhar ‘, mas em uma ‘matriz inescapável de vida’ “.  Lanza concluiu que os humanos são seres eternos que criaram o conceito de vida e morte através de suas consciências.  Ele alega que a morte não existe e que os humanos acreditam que ela exista porque eles crêem nisso coletivamente.
A morte é meramente o que pensamos que vemos.  Na verdade, tudo é o que pensamos que vemos.  Porém, na visão de Lança, “se tratarmos o tempo e o espaço como coisas físicas, a ciência escolhe um ponto de início errado para a compreensão do mundo“.
O ponto de início do Professor Lança é a biologia.  Contudo ele adiciona um pouco de mecanismos de física quântica para abalar os céticos realistas.  Ele aponta que o famoso experimento de física quântica, conhecido como ‘double slit’, ou experimento da abertura dupla em português, ajudou a demonstrar que partículas não são somente elementos isolados como pensamos.  Ao invés disso, elas podem agir como duas entidades separadas ao mesmo tempo.
Em essência, quando gostamos de zombar que alguém possa estar vivendo em um universo paralelo, isto poderia na verdade ser verdadeiro para todos nós.
Lanza tenta nos fazer pensar sobre nossa própria existência de formas diferentes.
Certamente o mundo seria muito mais interessante se verdadeiramente soubéssemos que há algo mais depois de partirmos.
——-
O artigo acima, embora não parece ter nada a ver com nosso tema, possui sim uma associação intrínseca.  Afinal, tudo nos leva a crer que há uma ligação entre tudo que existe em nossa volta.
n3m3


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/20/cientista-a-fisica-quantica-pode-provar-ha-vida-apos-morte/#ixzz2lEbAFmmT
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Cometa ISON ‘cria asas’

Cometa ISON ‘cria asas’


Cometa ISON teria criado asas
O Cometa ISON continua a desafiar os cientistas, os quais, em várias ocasiões, acharam que ele estava prestes a se desintegrar, mas não o fez.
Cometa ISON e sua enorme caudaAgora,   o cometa parece ter ‘criado asas’ (foto acima), que obviamente são somente ejeções de seu núcleo.Com isto, novamente alguns cientistas pensam que ele está prestes a explodir, mas outros dizem que, devido ao fato dessas ejeções serem homogêneas, não parece se tratar de uma desintegração do núcleo do ISON, mas sim de algum outro processo ainda não compreendido.
Também vale ressaltar que o astro conta hoje com a maior cauda já registrada em um cometa, como pode ser visto na foto ao lado, que tem agora mais de 15 milhões de quilômetros de comprimento.
Vamos aguardar para ver de que outra forma o ‘cometa do século’ irá nos surpreender.
Enquanto isso, para os teóricos da conspiração de plantão, abaixo está um vídeo comparando o formato atual do Cometa ISON com alguns agroglifos e arte antiga.
Veja:
embedded by Embedded Video
Fonte do vídeo: StephenHannardADGUK
n3m3
Colaboração do vídeo: Mario Q


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/19/cometa-ison-cria-asas/#ixzz2l8EQYYcK
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

Planetas similares à Terra podem ser comuns e populados por “humanos projetistas”

Planetas similares à Terra podem ser comuns e populados por “humanos projetistas”


aliendna
Apesar dos astrônomos terem estado procurando em nossa galáxia por vida em outros planetas, os cientistas no Cazaquistão sugerem que deveríamos estar procurando por prova deste fato um pouco mais perto de casa.  A pesquisa mais recente indica que há DNA alienígena em nosso código genético, e que este poderia ter sido projetado para conter uma mensagem ou sinal de uma civilização alienígena antiga.  A análise do mapeamento entre os nucleotídeos e aminoácidos revelam um nível de ordem sofisticado que parece indicar uma ‘assinatura’ inteligente.
Vladimir I. shCherbak, da Universidade Nacional al-Farabi Kazakh do Cazaquistão, e Maxim A. Makukov, do Instituto de Astrofísica Fesenkov, sugerem que a presença de tais sinais inteligentes em nosso código genético revela a mensagem matemática e semântica que não pode ser contabilizada dentro da evolução Darwiniana.
Simples agrupamentos do código revelam um conjunto de padrões aritméticos e ideográficos de linguagem simbólica“, disseram os pesquisadores.  “Precisos e sistemáticos, estes padrões fundamentais aparecem como produto de uma lógica de precisão e computação não trivial.
A análise do código confirma o uso de anotação decimal, transformações lógicas e o uso do símbolo abstrato de zero, e os cientistas vieram com a hipótese de que está na tentativa de decodificar esta ‘mensagem’, que eles chamam de “SETI biológico”, e não nos projetos atuais do SETI, o grande potencial para confirmação da existência de extraterrestres.
Uma vez consertado, o código poderá permanecer imutável por sobre escalas de tempo cosmológicas; na verdade, é o construção mais durável já conhecida“, escreveram os pesquisadores na publicaçãol científica Icarus.  “Assim, ele representa um armazenamento excepcionalmente confiável para uma assinatura inteligente.
Isto sugere que os seres humanos poderiam na verdade ter sido projetados por uma raça mestre de super-seres extraterrestres.
O relatório propõe que, assim como as assinaturas ou meios de comunicação, o código seria excepcionalmente efetivo, pois estaria sendo perpetuado indefinidamente:
Uma vez que o genoma for apropriadamente reescrito, o novo código com a assinatura permanecerá congelado numa célula e em sua progenitura, o que poderia então ser entregue através do espaço e do tempo.”
Os autores disseram que se o código tivesse sido especificamente criado, eles esperariam ver padrões estatisticamente significativos no código genético e nas características inteligentes que eram inconsistentes com qualquer processo natural conhecido, e isto pareceu ser o caso, levando-os a concluir que “ele foi inventado fora do sistema solar já há vários bilhões de anos“.
Esta descoberta parece confirmar a evidência encontrada pela equipe de Silas Beane, da Universidade de Bonn, na Alemanha, a qual indicou que seria possível, através de computadores suficientemente poderosos, “criar” nossos próprios Universos.
Mesmo se encontrarmos provas de que fomos uma ‘raça projetada’ por seres extraterrestres antigos, isto nos deixa ainda com mais perguntas: “Quem?”, seguido por “Por que?”, “Como?” e “Quando?”.  E ainda mais importante, “Quem fez os nossos ‘criadores’?”.  Seríamos meramente parte de um experimento científico enorme e os nossos ‘criadores’ ainda nos vigiam e monitoram?  Se a galáxia for realmente cheia de planetas como a Terra, o potencial para outros experimentos similares seria ilimitado.
Mas a verdade parece não estar lá fora, mas sim aqui dentro!
Certamente, mesmo que a tese acima não esteja correta, uma pergunta que deveriam ter feito ao Darwin na época seria: “Se o seu modelo de evolução está correto, por que os macacos, que são os animais mais próximos de nós humanos e tiveram o mesmo tempo que tivemos para evoluírem, não estão por aí fabricando automóveis, aviões, ou menos que isso, nem sequer são capazes de acender uma fogueira?”
n3m3


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/19/planetas-similares-a-terra-podem-ser-comuns-populados-por-humanos-projetistas/#ixzz2l8DwaZSl
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook

Os primeiros alienígenas que descobrirmos podem ser de cor violeta

Os primeiros alienígenas que descobrirmos podem ser de cor violeta


Planeta de cor violetaEm nossa procura por nova vida em mundos estranhos, um grupo de astrônomos modelaram mundos alienígenas em potencial, através do uso da história biológica da Terra como estrutura referencial.  A partir disto, eles determinaram que, se formos detectar biologia extraterrestre, deveríamos focar nossa procura na cor violeta.
À medida que descobrimos mais e mais mundos orbitando outras estrelas em órbitas biologicamente favoráveis, a questão “estamos sós?” se torna progressivamente mais séria.  É inevitável que logo descobriremos um mundo com as dimensões da Terra, orbitando uma estrela como o Sol, dentro da zona habitável.  Mas até desenvolvermos os meios para remotamente sondar a atmosfera daquele mundo, nunca poderemos ter certeza se ele é realmente habitável.
A procura por um planeta verdadeiramente análogo à Terra é repleta de desafios.  Estamos procurando por um planeta com as mesmas características da Terra moderna, ou estamos tentando modelar nossos planetas durante as diferentes épocas e concluir quando a vida da Terra teria sido mais detectável?  A vida na Terra tem existido pela melhor parte de 4 bilhões de anos. Quando seria mais apropriado para uma civilização alienígena detectar vida extraterrestre e o que eles necessitariam para procurar por ela?
Claramente, o que sabemos sobre nosso planeta será nossa linha de direção para a caracterização de mundos rochosos pequenos em zonas habitáveis de suas estrelas“, escreve a equipe, liderada por Esther Sanroma, do Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC), Espanha, num trabalho aceito para publicação no Astrophysica. Journal.  “Mas a Terra tem sido habitada por, pelo menos, 3,8 bilhões de anos, e sua aparência mudou com o passar do tempo.
Há 3 bilhões de anos, durante o éon Arqueano, a Terra provavelmente era dominada por uma bactéria de cor violeta, um micro-organismo fotosintético que habitou a terra e os mares da antiguidade.  Estes organismos teriam tido uma impressão espectroscópica distinta e um sinal indicador de que a Terra foi coberta por uma forma básica de vida.
Através da modelagem de diferentes distribuições deste micróbio pelo planeta – nos oceanos, sobre a terra, ao redor das áreas costeiras e durante diferentes condições atmosféricas – a equipe de Sanroma usou um modelo de transferência radioativa “para simular a radiação visível próxima do infravermelho refletida pelo nosso planeta“.  Assim fazendo, eles foram capazes de determinar que, através do uso de observações fotométricas multi-cor, os observadores distantes seriam capazes de “distinguir entre a Terra Arqueana, na qual a bactéria violeta habita várias extensões do planeta, e a Terra atual, com continentes cobertos por desertos, vegetações e tapetes microbianos“.
A equipe enfatiza que, quando procuramos por mundos similares à Terra, os caçadores de exoplanetas precisam  estar cientes de que eles podem não descobrir um planeta similar à Terra moderna; eles podem se deparar com um mundo dominado por bactérias, as quais possuem uma assinatura fotométrica distinta, mais semelhante ao antigo éon Arqueano pelo qual a Terra passou.
Esta não é a primeira vez que mundos alienígenas de cor violeta foram considerados como uma possibilidade.  Em 2011, pesquisadores examinaram os regimes exóticos de geração de energia que uma hipotética planta alienígena precisaria para desenvolver sob luz solar de estrelas binárias.
Mais de 25 por cento das estrelas similares ao Sol e 50 por cento das estrelas anãs vermelhas existem em pares binários.  Se houver qualquer planeta em órbita ao redor de sistemas binários, qualquer vida – seja flora ou fauna, ou alguma forma alienígena de vida que não podemos compreender e muito menos categorizar -  estes seriam expostos a um amplo espectro de luz, se estendendo muito adentro das ondas ultravioletas.  O resultado disso seria vida vegetal de cor violeta (ou até mesmo preta), que evoluiu para otimizar a fotossíntese.
Parece que na procura por vida extraterrestre, todas as estradas levam à cor violeta.
n3m3


Leia mais: http://ovnihoje.com/2013/11/18/os-primeiros-alienigenas-descobrirmos-podem-ser-de-cor-violeta/#ixzz2l8DaJE3K
Follow us: @ovnihoje on Twitter | ovni.hoje on Facebook
Ocorreu um erro neste gadget

LIKE-FACEBOOK

VISITORS

free counters

solar terrestrial data